Valorizar quem valoriza

0
2
O direito à igualdade é um dos principais pilares da luta da mulher na sociedade. Ao contrário do que muitos imaginam, a batalha contra a diferença vai muito além da equiparação salarial, das mesmas possibilidades de trabalho ou estudo. Ela abrange todas as esferas e atitudes. Evoluindo junto com o público feminino, o mundo do varejo já percebeu a importância das clientes para o sucesso das empresas e, inclusive, mercados que antigamente poderiam ser vistos exclusivamente para os consumidores masculinos já estão passando a dar maior atenção a elas, as mulheres. Como é o caso do mercado cervejeiro. Segundo Ketlyn Zim, uma das fundadoras da BeerCode, rede de comercialização de cervejas especiais, a presença feminina tem sido cada vez mais maior nesse setor. “Para atraí-las ainda mais, precisamos entender que a categoria é unissex, sem preconceitos ou direcionamentos que limitem o público feminino a se entregar a experiência cervejeira”, conta.
Com essa maior aproximação, foi possível ainda com que as empresas tivessem a oportunidade de conhecer mais sobre essa nova cliente e as peculiaridades que ela possui. Por exemplo, Ketlyn conta que elas são o grande desafio desse mercado, “pois são mais seletivas e fiéis às suas escolhas”. Além disso, elas são detalhistas e se sentem atraídas quando encontram aqueles itens que fazem parte com o que elas desejam consumir. “As clientes prestam atenção como copos do serviço, apresentação do kit presente que for comprar, quer saber além da bebida, questiona sobre curiosidades, pede dicas de harmonização. Enfim, ela requer uma atenção dedicada ao seu atendimento”, completa.
A executiva lembra que, quando entrou no mercado, o público era formado por, basicamente, consumidores masculinos, porém percebeu que quem os presenteavam era justamente as mulheres, sendo, então, elas as clientes diretas, quem faziam as escolhas das compras. Dessa forma, nada mais justo foi também procurar por maneiras que fizesse com que elas se sentissem incluídas. Fez parte do trabalho a procura por aquilo que mais agradava o público feminino no mercado cervejeiro, que era o atendimento diferenciado, “como consultoria no atendimento, produtos com maturações específicas, premiações e apresentação para agregar no kit”. O resultado da inclusão foi que, em dois anos, o público feminino da BeerCode cresceu em 50%.
Na verdade, a fidelização do cliente neste mercado se faz vital, independente do sexo do cliente, pois ainda é algo muito novo e em formação entre os consumidores. Não por menos, constantemente são procuradas formas para trazer os consumidores e interessados para mais perto, a fim de encantá-los. “Hoje já temos algumas lojas que com o cadastro e o atendimento personalizado, conseguem indicar rótulos que a pessoa ainda não degustou pelo seu histórico de compra”, diz Ketlyn. No caso do público feminino, como elas valorizam as suas escolhas, a executiva explica que foi preciso criar uma estratégia com a qual elas pudessem ter novas experiências e mais pontos a serem valorizados. “Uma das ações que tem trazido bons resultados são as degustações que promovemos de forma gratuita para apresentar novidades e harmonizações. Diante disso, a mulher se sente convidada a degustar e, se gostar do produto, acaba confiando ainda mais na marca e nos próximos atendimentos que vai ter em nossas operações.”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSujou, limpou!
Próximo artigoBrasilprev apoiando conquistas