Varejo físico ou on-line?

0
0



Apenas 21% dos entrevistados que compraram em lojas virtuais pertencem à classe C enquanto 79% são das classes A e B. Já entre os compradores das lojas físicas, essa participação sobe para 44% contra 56% das classes A e B. Esse é um dos dados levantados pelo estudo quantitativo “Desempenho do varejo virtual versus físico”, realizado pela Officina Sophia Retail. O estudo também revela que nas cidades do interior, o canal on-line tende a apresentar um tíquete médio superior ao das lojas físicas: R$1.400,80 contra R$1.151,90 respectivamente.

 

Quanto à escolha de lojas, 63% optam por grandes redes de varejo tanto para compras on-line como no varejo físico; redes como Casas Bahia, Magazine Luiza, Pernambucanas, entre outras. Quanto ao gênero, entre os entrevistados que são clientes do canal on-line, 44% são homens; nas lojas físicas, os consumidores masculinos são 34% – revelando a preferência dos homens pelo e-commerce.

 

Sabe-se que, para as categorias investigadas, o processo de compra inclui a pesquisa de preço e produto. O estudo revelou que entre os compradores do varejo físico, 55% realizaram pesquisas antes de concluir a compra; em São Paulo (capital), 70% dos entrevistados pesquisaram em lojas físicas e 38% em canais on-line. No interior, 81% pesquisaram em lojas físicas e 26% nos canais on-line. Entre os consumidores do varejo virtual, em São Paulo (capital), 67% dos compradores pesquisaram antes de efetivar a compra: 76% na internet e 37% em lojas. No interior, 69% dos compradores on-line fizeram pesquisas, sendo 72% na internet e 42% em lojas convencionais.

 

Segundo Valéria Rodrigues, diretora da Officina Sophia Retail e coordenadora do estudo, à medida que o consumidor brasileiro inicia a experiência no e-commerce, ele tende a abandonar a loja física como referência para preços e produtos. “Embora a decisão de compra da maioria dos consumidores ainda recaia pela loja física, a pesquisa mostra que os canais on-line têm se destacado como importante fonte de informação para a comparação de preços, produtos e marcas”, afirma.

 

Baseada em entrevistas telefônicas, a pesquisa contou com a participação de 520 pessoas das classes A, B e C, acima de 18 anos e residentes em São Paulo (capital) e nas cidades de Catanduva (SP), Apucarana (PR) e Patos de Minas (MG) – cidades com mais de 100 mil habitantes e distantes cerca de 300 quilômetros da capital do Estado. Entre os critérios de seleção de entrevistados, o fato de terem comprado, em loja física ou virtual, eletroeletrônico, eletrodoméstico, equipamentos de informática ou celulares nos últimos três meses.