Viagens de Incentivo: premiação em grande estilo

0
2


Viagem é um sonho, um verdadeiro objeto de desejo. Está no topo da lista de preferências de premiação de uma campanha de incentivo e motivos não faltam para tanto. Tal premiação permite às pessoas realizarem uma viagem de graça e cheia de diferenciais, além de cortesias, presentes e surpresas, o que não acontece em uma viagem comum. Os destinos são, na maioria das vezes, inusitados. Os hotéis são de alto padrão, os restaurantes de primeira, e as visitas (a museus, parques, etc) são praticamente exclusivas para o grupo.

Mas, o que é exatamente uma viagem de incentivo? Trata-se, antes de tudo, de uma poderosa ferramenta de marketing, que serve tanto para motivar pessoas, como para fidelizá-las, fixando na mente dos contemplados, a marca responsável pelo prêmio e reconhecimento. Essas viagens são diferentes e elaboradas sob medida, para motivar e/ou reconhecer os participantes por motivos previamente especificados, como o aumento nos níveis de performance, por exemplo.

Um estudo realizado pela Incentive House, empresa de marketing de relacionamento pertencente à Accentiv´, revela a importância dessas viagens como elemento motivador. O ´efeito recall´, ou seja, o tempo médio de permanência de uma premiação na memória do colaborador contemplado, é de dez anos para as viagens, o mais alto de todas as formas de premiação. Para efeito de comparação, o ´efeito recall´ de bens duráveis (como automóveis, por exemplo) é de quatro anos. As viagens ficam marcadas pela experiência, por fotografias e pelas histórias que geram no retorno.

Outro elemento favorável, quando analisamos as viagens de incentivo, refere-se ao valor da premiação. É importante ressaltar que esse valor, normalmente, é autopagável, pois as viagens somente são oferecidas se as metas pré-estabelecidas forem atingidas. O budget de uma campanha como essa é, normalmente, dividido da seguinte forma: as viagens de premiação correspondem a 70/75% do orçamento; a promoção do programa (teaser, material de lançamento, kits pré-viagens, brindes, etc) corresponde a 10/20% do valor, e a administração, por sua vez, corresponde a 5/15% do total investido.

Para finalizar, é importante observar que, além de motivar funcionários de diversas empresas brasileiras, as viagens de incentivo movimentam o setor de turismo no País. Essa é uma das atividades econômicas que mais gera empregos, pelo desenvolvimento de infra-estrutura e treinamento de pessoas para receber visitantes. Dentro desse contexto maior, as viagens de incentivo vêm crescendo e contribuindo para o incremento da atividade. Atualmente, o segmento de viagens de incentivo já é reconhecido pela Embratur. Para a Organização Mundial de Turismo (OMT), até o ano de 2020, a quantidade de viajantes no mundo deve chegar a 1,6 bilhões e os segmentos turísticos que indicam vocação para crescer nessas duas décadas são: o de eventos, o de incentivo e o de aventura.

Jorge Medauar é diretor de Criação da Incentive House.