Violência derruba confiança de comerciantes

0
3


A crise de violência provocada pelo PCC no início de maio derrubou a confiança dos comerciantes de São Paulo, segundo o Índice Fecap de Expectativas nos Negócios (IFecap), que registrou uma significativa queda no mês passado, de 123,66 pontos para 116,15 pontos.

De acordo com o coordenador do IFecap, o professor de Economia André Chagas, após vários meses de recuperação do indicador, influenciada pela manutenção da expansão do crédito ao consumidor e perspectivas de melhoras do mercado de trabalho, em maio as expectativas dos comerciantes paulistas foram prejudicadas pela avaliação dos empresários sobre a situação dos negócios e pela onda de insegurança que se abateu sobre o Estado. “Não tenho receio em concluir que o problema de segurança no Estado foi algo generalizado e apareceu nas respostas de todas as regiões pesquisadas pela Fecap”, comentou o coordenador.

Chagas informou que a coleta teve início na semana seguinte ao episódio de violência em São Paulo. “Toda a escalada do índice vista de fevereiro a abril foi reduzida agora”, comparou. Com este resultado, o IFecap Índice Geral retornou ao nível do início do ano (em janeiro, o índice registrou 115,03 pontos – ver tabelas anexas). “Isto compromete a tendência de recuperação que vinha desde meados do ano passado”, considerou.

A principal razão para a queda das expectativas captada pelo IFecap é decorrente da variação no Índice Futuro, que caiu 14,05 pontos em relação ao mês de abril (de 142,08 para 128,03). “A onda de violência que atingiu todo Estado de São Paulo é a principal razão para esse resultado, que impactou tanto o Índice Futuro Vendas (queda de 142,58 para 128,79), quanto o Índice Futuro Encomendas (de 141,57 para 127,27)”, comparou Chagas.