A fuga do risco de protesto

0
3
Estar endividado já é um problemão. Imagina quando esse problema vai parar na justiça? Sendo assim, o consumidor, que preza por ter seu nome limpo e quer ter acesso ao crédito sempre, encara isso como um fator chave para acertar as contas. É nesse quadro que o protesto das dívidas vem auxiliando as empresas de cobrança, que notificam na justiça que o pagamento de uma dívida não foi feito. Segundo Reginaldo Diniz, diretor de operações da Paschoalotto, à medida que citações ou intimações carregam uma carga de maior importância e relevância, as pessoas não querem ter assuntos especificamente jurídicos a tratar. “No Brasil, o maior patrimônio do cidadão na figura de consumidor é o seu nome. Os devedores tendem a negociar para que possam, não só resolver a situação, mas o que chamamos comumente de regularizar o seu ´nome´”, comenta.
O protesto hoje é, para o credor, uma ferramenta por meio da qual, gratuitamente, são enviados títulos ou documentos de dívida, em meio eletrônico, para cobrança que são qualificados e passam procedimento que reduzem o risco antes de seguirem, de acordo com Mário Camargo, presidente da Anoreg-SP, Associação dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo. “Caso o devedor pague (mais de 60% dos casos), o valor é disponibilizado para o credor no dia útil seguinte. Caso não haja pagamento, é realizado o protesto, que dá publicidade à inadimplência, por meio da consulta gratuita de protesto com base no CPF e no CNPJ”, comenta. De acordo com Arthur Del Guércio, Tabelião de Notas e de Protesto de Letras e Títulos de Itaquaquecetuba-SP, ao optar pelo protesto extrajudicial, as empresas credoras tem a certeza de estar trilhando um caminho seguro sob o aspecto jurídico, além de o próprio devedor ter a garantia de estar diante de um procedimento legal, resguardados seus direitos.
Historicamente, o protesto é visto de forma negativa por parecer uma medida radical do credor. No entanto, segundo Camargo, esse pensamento vem mudando, já que o protesto é uma medida intermediária entre o pagamento espontâneo e a execução forçada da dívida. “É um procedimento legal e transparente, que traz segurança para o credor, pois demonstra boa-fé deste. Traz também segurança para o devedor que fica protegido contra títulos irregulares, tem oportunidade de pagar antes de ver o protesto (e a negativação) pesando sobre seu nome e pode se defender quando diante de uma cobrança indevida (sustação), o que reduz sobremaneira eventuais danos”, afirma. Além disso, para Fernando Nascimento, gestor jurídico da empresa, as implicações que vem com o nome protestado, também incentivam o consumidor a acertar suas dívidas. “O protesto constará em consultas realizadas pelos órgãos de proteção ao crédito, fazendo com que o devedor seja compelido a regularizar a pendência financeira negociando a divida para recuperação do credito”, diz.
Durante esse tipo de processo, para Fábio Sayão, gerente jurídico da Paschoalotto, há sempre uma situação de desconforto por parte do devedor. No entanto, é algo de praxe que ocorre em cobrança, já que é uma das exigências de todas as contratantes. “Invariavelmente ocorrerá algum tipo de desgaste momentâneo, mas o mesmo devedor também sabe que é um instrumento de exercício do direito do credor na intenção de buscar a recuperação do crédito”, explica.  Para Andrea Flores, gerente de operações da empresa, a ação de protesto de uma dívida não compromete o relacionamento com o cliente, pois é de senso comum que é um instrumento para que o credor possa acionar o devedor como uma das etapas de negociação e recuperação do crédito. “O protesto é uma ação com respaldo legal que só é utilizada a medida que todas as outras tentativas de acordo na esfera amigável não obtiveram êxito”, ressalta.
E na sua opinião, quais são as vantagens de utilizar o protesto de dívidas como forma de recuperação de crédito? Deixe a sua opinião na enquete do portal Portal Crédito e Cobrança.

Leia também as matérias exclusivas do especial:
Empresas precisam estudar comportamento do cliente para protestar dívidas de forma adequada
Protesto de dívidas traz mais eficácia para a recuperação de crédito
Para evitar problemas com justiça, consumidores tendem a regularizar dívidas antes de serem protestadas
Consumidores acertam contas para evitar que nomes sejam protestados na justiça

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVamos quebrar paradigmas?
Próximo artigoInovou ou errou?