Cheque, ilimitado facilitador

0
5



Atualmente, o uso do cheque Brasil apresenta uma paralela interessante: por um lado, o número de  cheques declina com o tempo, por outro, o valor médio dos cheques mantém-se em crescimento, de acordo com dados do Banco Central – uma paralela que não se contradiz. O ticket médio constatado em maio foi de R$ 331,62, enquanto há um ano era de R$ 281,90, um aumento superior a 17%, de acordo uma pesquisa realizada Telecheque. Por esses motivos, esse final de semana o Especial do Crédito e Cobrança traz a opinião dos especialistas sobre o futuro dos cheques no País.



Apesar de requerer mais tempo na utilização, por exigir consulta, o cheque mantém seu status quando o assunto é limite. Ilimitado. É assim que pode ser visto por aqueles que têm histórico de adimplência e nome limpo. Para facilitar e agilizar o processo de consulta, a Febraban lança o site “Cheque Legal” que possibilita gratuitamente a consulta sobre a situação física da folha. “O ´Cheque Legal´ foi pensado para facilitar a vida do consumidor que precisa consultar informações para realizar transações financeiras mais seguras”, pontua Walter Tadeu de Faria, diretor adjunto de Serviços da Febraban.



Principalmente pela ausência do limite, o cheque torna-se uma ferramenta preciosa. “Um dos pontos que garante a utilização do cheque, são as transações comerciais empresariais. Pessoas físicas podem escolher em um maior leque a forma de pagamento, mas para as pessoas jurídicas o cheque sempre foi a melhor opção tanto pelo prazo, quanto pela ausência de limite de valor por folha”, afirma Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor de Estudos Financeiros da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade, Anefac.

 

A opinião dos especialistas é unânime: Apesar dos benefícios do cartão, o cheque tem seu valor reconhecido pelo mercado e ainda há de existir por muito tempo – ou até que haja uma ferramenta capaz de substituir os talões com efeito. Enquanto isso não acontece, confira mais do que pensam os especialistas e após ler as matérias, participe da nossa enquete.

 


Baixo custo de operação somado a ausência de limite potencializam a utilização das folhas

 


Site da Febraban possibilita consultar situação física de cheques

 


Rio de Janeiro puxa queda, com redução de 56% no índice

 


Aumento da inadimplência foi puxado pela região Sul, onde o índice subiu 29,15%

 


Pesquisa da Telecheque aponta crescimento de 27,62% do ticket médio em 2011

 


Uso do 13º para pagar dívidas contribuiu com decréscimo, aponta economistas

 


Aumento da inadimplência foi puxado pela região Sul, onde o índice subiu 29,15%