Economia paulista está em alta

0
4

Do último trimestre de 2011 para o primeiro de 2012, de acordo com estimativas da Fundação Seade, o Produto Interno Bruto a preços de mercado, PIBpm, paulista cresceu 0,6%, variação essa, superior à do Brasil, que foi de 0,2%, segundo o IBGE. Na comparação do primeiro trimestre de 2012 com igual período do ano anterior, o PIBpm paulista cresceu 1,5%.
Contribuíram para esse comportamento, no início do ano, a evolução de 0,4% do Valor Adicionado a preços básicos, VApb, e os impostos líquidos de subsídios, que cresceram 0,8%. A expansão do VApb, por sua vez, deveu-se aos seguintes resultados:
 crescimento da indústria de 1,1%, influenciado pelos dados positivos da indústria de transformação (1,0%) e da produção e distribuição de eletricidade, gás, água, esgoto e limpeza urbana (2,4%), enquanto a construção civil decresceu 0,6% no trimestre;
 aumento de 0,3% nos serviços, reflexo do comportamento positivo do comércio (3,3%) e dos transportes (3,0%) e da redução dos demais serviços (0,3%). Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio – PMC/IBGE, os segmentos do comércio varejista que apresentaram bom desempenho no trimestre foram hipermercados e supermercados (13,6%), material de construção (15,9%) e veículos automotores (7,3%);
 resultado negativo de 3,4% da agropecuária, justificado, principalmente, pela diminuição na produção de soja, que segundo informações da Companhia Brasileira de Abastecimento – Conab foi de 1,9%.
As estimativas trimestrais, por sua própria natureza, estão sujeitas a revisões periódicas e seus valores definitivos só são obtidos após a divulgação do resultado anual do PIB paulista, que se dá com defasagem de dois anos, segundo o calendário do projeto das Contas Regionais liderado pelo IBGE.