Elas estão mais endividadas

0
1

A inadimplência entre os jovens pode acarretar em problemas futuros, como dificuldades em dar conta da vida financeira, uma vez que já começam a vida adulta com um padrão negativo. A mais recente pesquisa realizada pela TeleCheque, referente ao período de janeiro a fevereiro de 2013, aponta que jovens de 21 a 30 anos representam 29% dos consumidores inadimplentes com cheques. A pesquisa aponta, ainda, que as mulheres são as mais inadimplentes nesta faixa etária, com 53,25% dos casos. Para Dirlene Martins Costa, diretora de recuperação de crédito da TeleCheque, a inadimplência entre esse público deve-se ao descontrole pela falta de educação financeira. “Esse cenário está aliado à falta de orientação e informação sobre como utilizar o crédito de forma consciente”, afirma. 
A diretora acredita que, para os jovens, o endividamento pode influenciar na vida profissional. “Diminuem as perspectivas profissionais, pois o jovem vai estar mais preocupado em ganhar dinheiro para pagar dívidas do que em investir na sua formação, carreira e desenvolvimento profissional”, destaca. Dirlene defende que a educação financeira é uma maneira de abrir os olhos dos jovens, que muitas vezes não têm noção da proporção do problema financeiro. “Investir em programas de educação financeira é o maior presente que as escolas, faculdades e empresas podem dar aos jovens, pois muitas vezes eles não percebem o problema no qual estão entrando”, sugere.
Na hora da cobrança, a diretora afirma que o melhor caminho para a ação com os jovens ainda é por telefone, no entanto, SMS e internet têm se mostrado bons caminhos. O importante é segmentar a cobrança de acordo com o perfil e assim, dar ao jovem os caminhos para que ele possa negociar suas dívidas. “Os nossos negociadores conseguem perceber uma situação e um perfil, e assim propor a melhor solução, tanto que não utilizamos scripts: nosso pessoal é treinado para negociar”, conclui.