Elas querem crédito!

0
21
Cada vez mais independentes financeiramente, as mulheres representam hoje uma fatia importante dos consumidores brasileiros. Mais do que isso, ela também se tornou protagonista na busca por crédito, como evidenciam alguns números, em 2015, as mulheres foram 62,% dos que buscaram microcrédito no mercado, segundo o Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO).
Assim como mostram os estudos, em algumas instituições financeiras, elas já representam a maioria na carteira de crédito. “Do total de clientes que possuem operações de empréstimo contratadas no Banco do Brasil, as mulheres apresentam importante participação na carteira representando um pouco mais da metade desses clientes”, afirma Edmar Casalatina, diretor de empréstimos e financiamentos do Banco do Brasil.
Esse cenário pode ser explicado, segundo a diretora comercial de crédito consignado do Banco Intermedium, Virginia Moreira, pelo fato das mulheres, hoje em dia, terem mais poder de decisão sobre a economia familiar. “Ela já pode ser a responsável integral pela manutenção da casa, ou ao menos uma contribuinte importante, no aspecto econômico. Desse modo, ela passa também a tomar decisões financeiras em nome da família, e a buscar crédito para suas necessidades”, afirma.
Esse maior poder de decisão em casa está relacionado à atual posição da mulher na sociedade, como observa Wilson Justo, diretor de marketing e relacionamento da Sorocred. “O aumento nas estatísticas reflete a posição da mulher, cada vez mais presente no mercado de trabalho”, responde. Um exemplo é que a importância delas no mercado de crédito não fica só entre os consumidores. Virginia aponta que entre os funcionários do banco, 55% são mulheres.
Outro fato que vem alavancando esse quadro é que as mulheres também estão buscando mais por oportunidades de empreender. Segundo Leila Pellegrino, economista e professora da Universidade Mackenzie, hoje, é grande o número de empreendedoras em busca de recursos para viabilizar seus negócios. “São cabeleireiras, manicures, costureiras, cozinheiras. Mulheres que vendem roupas, cosméticos ou outros produtos de porta em porta. Donas de mercearias, pequenos restaurantes”, completa Jorge Augustowski, diretor executivo de economia da Anefac, que também observa esse maior empreendedorismo das mulheres.
Diante disso, um ponto que vem chamando positivamente a atenção do mercado. Esse público tem se mostrado mais conscientes economicamente. Segundo Justo, elas buscam por bens duráveis e têm um bom planejamento financeiro. “Elas são mais equilibradas e estão diretamente ligadas às conquistas relacionadas a tomadas mais fortes de crédito para adquirir um imóvel, reformar a casa, comprar um carro, etc.”, diz o executivo.
Qual o fator mais importante para o aumento da demanda das mulheres por crédito? Deixe a sua opinião na enquete do Portal Crédito e Cobrança.

Leia também as matérias exclusivas do especial:

Papel importante

Mulheres
já representam a maioria daqueles que buscam crédito


Mulheres conscientes

Cada
vez mais, elas buscam crédito para adquirir bens duráveis e que exigem
planejamento


Elas que decidem!

Com
maior poder de decisão em casa, mulheres passam a buscar mais por crédito


Poder feminino

Mulheres
representam uma fatia cada vez mais importante do mercado financeiro


Elas no comando

Mulheres
têm buscado mais crédito para empreender