Famílias mais endividadas, e o que isso significa?

0
1



As famílias paulistanas estão mais endividadas em maio comparado a abril, é o que revela a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência, PEIC, divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, FecomercioSP. O número de famílias que possuem algum tipo de dívida subiu 2,6 pontos percentuais (p.p), ao passar dos 53,2% apurados em maio, frente aos 50,6% de abril. Em relação a igual período de 2011, o nível de endividamento subiu de 45,7% para 53,2%.


Já o número de famílias com contas em atraso apresentou queda de 0,3 p.p. em maio ante abril e atingiu 21,5%, porém continua com nível elevado. No comparativo com o ano passado, o indicador apresentou alta de 7,1 p.p. Entre as famílias em situação de inadimplência, 39,6% têm débitos pendentes a mais de 90 dias; 45,6% com pendências entre 30 e 90 dias; e 12,7% apresentam dívidas postergadas por até 30 dias.


Em números absolutos, o total de famílias endividadas aumentou de 1,814 milhão para 1,909 milhão em maio. Com o resultado, este é o maior nível de endividamento das famílias neste ano. Na comparação com o mesmo mês de 2011, o número de endividados era 1,639 milhão. Em maio, o resultado da PEIC aponta ainda que o principal tipo de dívida continua sendo o cartão de crédito (77,2%); seguido por crédito pessoal (19,3%); carnês (17,6%); cheque especial (9,8%); financiamento de carro (8,9%) e outros.


Veja também opinião do economista Richard Rytenband sobre os reflexos do endividamento das famílias no mercado:


Os reflexos do endividamento familiar
Embora a fatia da renda comprometida seja grande, o ritmo do País é de crescimento e as perspectivas para o mercado são boas