O fator humano

0
19
Demissão é sempre um assunto muito delicado. Em situações de crise financeira como esta, muitas empresas são forçadas a diminuir seu contingente de colaboradores para reduzir custos. E, por mais que outras medidas sejam tomadas, como zerar banco de horas e/ou reduzir a carga horária, o corte acaba passando pela mente dos gestores. Entretanto, algumas ações junto ao departamento mais humano da empresa – o RH – podem ser a solução para o atual problema. “A parceria e o trabalho colaborativo entre os gestores e o RH é primordial para o sucesso de qualquer companhia independente do momento em que se encontra”, pontua Hedfran Frejat, gerente executivo de recursos humanos da Intervalor.
Com isso em mente, é preciso entender a importância de um diálogo aberto sobre as questões que afetam diretamente os colaboradores, pois é a premissa para a manutenção de um bom clima de trabalho. Quando a recuperadora de crédito se posiciona sobre os temas discutidos na “rádio peão”, ela evita as especulações que geram insegurança em seus funcionários, aponta Frejat. Assim, as decisões corporativas, as regras e os procedimentos devem ser claros e disponíveis para todos os colaboradores.
Outro agravante gerado pela crise é que com o índice de desemprego crescendo, muitos inadimplentes não vão conseguir quitar suas dívidas, fazendo com que os colaboradores não alcancem suas metas – correndo, eles mesmos, o risco do desemprego. “Neste sentido, o RH deve aumentar a sinergia com os líderes para criarem ações que promovam o sentimento de pertencer às equipes. Quanto mais alinhados colaboradores, líderes e RH mais fácil será para a empresa superar este momento”, conclui Frejat.