Oportunidade na crise?

0
9
A crise econômica que foi fortemente sentida pelo país, em 2015, promete continuar presente nesse ano. Na visão de Emilio “Pitico” Vieira Neto, diretor da Enterprise Global, os efeitos devem até ser ainda mais fortes em 2016. “Acreditamos que o cenário deverá ter uma piora em face de todos os indicadores analisados e publicados na mídia”, afirma. Porém, mesmo com o cenário de retração, ele vê a crise como um momento de possibilidades. “Entendemos que, apesar da crise ser negativa, ela carrega muitas oportunidades”, responde o executivo.
Ele afirma que, para isso, as empresas precisam se adequar e, caso não o façam, podem sair prejudicadas. “Ressalto que empresas que não possuírem processos de redução de custos e eficiência na execução da tarefa de cobrar estarão pesadas demais para se ajustarem”, diz.
Para conquistar as oportunidades, Pitico afirma que a Enterprise tem tomado algumas atitudes, como ser mais criteriosa na seleção dos colaboradores e de ferramentas auxiliares para que o processo de cobrança aconteça de forma efetiva. “Para isso, criamos condições e estruturas adequadas que proporcionam cursos e treinamentos da equipe, tornando-os talentos no processo de negociação de dívidas”, comenta.
O objetivo da empresa para 2016 é, justamente, trabalhar no sentido de se tornar eficiente para estar bem posicionada no mercado mesmo em um momento difícil. “Para isso estabelecemos que temos que conhecer e interpretar as necessidades dos devedores e os desejos dos contratantes”, responde o executivo. O diretor da empresa se mostra otimista com as possibilidades de 2016, Pitico afirma que a Enterprise Global trabalhará focada no tripé contratante-inadimplente-cobrança para conseguir resultados positivos. “Então, teremos um ano de 2016 com grandes novidades na atuação e um forte investimento na capacitação e treinamento das equipes, líderes e gestores da empresas. Estaremos superando a crise”, completa.