A união, em defesa da profissionalização

0
0

O primeiro passo foi dado no final do ano passado, resultado dos objetivos comuns de incluir a atividade entre as beneficiárias da redução do ISS (Imposto Sobre Serviços) de 5 para 2%, na capital paulista. Depois de algumas conversas então esporádicas entre alguns empresários como Luiz Mattar (Telefutura), Alessandro Goulart e José Topázio (Softway) e Alexandra Periscinoto (SPCom), o grupo começou a se fortalecer em torno do Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, o Sintelmark, recebendo o apoio de Oscar Teixeira Soares (presidente da entidade patronal e da Auttel) e de José Luis Sanches (vice presidente do Sintelmark e diretor geral da RedLine).

A primeira reunião oficial do grupo foi marcada durante o “Encontro com Presidentes”, promovido pela Grube Editorial, responsável pela edição da revista ClienteSA e dos portais Callcenter.inf.br e ClienteSA.com.br. A data, início de dezembro, no Sintelmark. “Nos orgulhamos de ter contribuído para sedimentar essa integração”, justifica o diretor e editor Vilnor Grube. “Percebemos uma completa sensibilização política em torno de nossa atividade e reconhecimento a sua importância”, comenta o presidente Oscar Teixeira do Soares.

A redução do ISS acabou não sendo viabilizada para este exercício, mas além da perspectiva das empresas setoriais conseguirem entrar na faixa de redução para 2004 outra boa notícia a se comemorar é a união da categoria. “É importante essa integração empresarial para reforçar a importância estratégica das empresas por vários motivos sócio-econômicos”, destaca Oscar. Ele lembra, por exemplo, a importância do telemarketing como principal empregador no País, além de, para os jovens, ser a porta de entrada no mercado profissional, como primeiro emprego, e a capacitação de RH para várias atividades. “Neste ponto estamos em sintonia com a política do novo governo e somos a grande oportunidade para contribuir com a geração de novos empregos”, justifica. Sem esquecer da oportunidade de crescimento dentro das próprias empresas.

Esta semana, o grupo voltou a se reunir para consensar outros assuntos, além do ISS e uma campanha institucional. Além das empresas que começaram o movimento, como Softway, Telefutura, SPCom, Auttel e RedLine, compareceram à reunião representantes das maiores empresas nacionais, como Atento, Contax, Teleperformance, Work Telemarketing, TeleTech, TMKT/MRM e Public. Entre as entidades de classe estavam o presidente da Associação Brasileira de Telemarketing (ABT) e da Associação Brasileira das Empresas de Marketing Direto (Abemd).

Na pauta, assuntos como listas para telemarketing ativo, ICMS sobre as contas telefônicas e o próprio ISS. “Vamos trabalhar, agora, para desenvolver um trabalho mais ativo junto às esferas municipal, estadual e federal, mais unidos”, comemora Oscar. E novas reuniões. “Quem com certeza vai ganhar é a atividade, uma vez que a luta é pela profissionalização”, aposta Oscar.