No rosto dos colaboradores, a imagem da empresa

0
1

Não há o que mobilize o capital de uma empresa de serviços, se não existirem profissionais capacitados e trabalhando satisfeitos. E o sucesso de uma empresa de serviços, principalmente de contact center, está diretamente relacionado à excelência dos seus profissionais.

Uma relação saudável entre empresa e colaboradores começa no já no ato da contratação. E os benefícios oferecidos são grandes atrativos para os profissionais que ingressam no mercado de trabalho. Mas no dia-a-dia é necessário inovar e apostar no colaborador. O chamado capital intelectual é hoje reconhecidamente um ativo de singular importância. Pessoas bem treinadas, com espaço para crescer e identificadas com a filosofia da empresa, são a grande arma para enfrentar a concorrência cada vez mais acirrada.

O grande desafio para as corporações é criar condições favoráveis para não só atrair como manter o seu capital humano, incentivando constantemente a motivação e o crescimento profissional de suas equipes. Bons salários, pacote de benefícios e constantes desafios são apenas alguns dos ingredientes de uma receita que não vem pronta. Cada organização tem a sua realidade e com base nela deve construir este ambiente de satisfação.

Não são raros os casos de pessoas que trocam de empresa, por salários até inferiores, por um motivo tão simples quanto decisivo: insatisfação. Empresas renomadas já tiveram a má experiência de presenciarem funcionários seus tornarem-se executivos de destaque em companhias concorrentes, que lhes ofereceram vantagens absolutamente convincentes: reconhecimento ao talento e espaço para crescer.

Toda empresa tem sua missão, valores, programas de responsabilidade social, enfim, uma série de componentes que dizem ao cliente quem ela é. Mas são as pessoas que verdadeiramente dão “rosto” a ela. Para uma empresa de contact center o investimento em recursos humanos é especialmente importante porque torna-se diretamente responsável pela melhoria da qualidade da mão-de-obra no País. Isso ocorre porque o setor é um dos que mais gera empregos no País. Entre 1997 e 2001, o crescimento foi de cerca de 200% em empresas de telemarketing, que hoje contratam mais de 800 mil funcionários, segundo dados da Associação Brasileira de Telemarketing (ABT).

Em três anos de atuação no mercado, a Contax já gerou mais de 7.000 primeiros empregos. A empresa adotou um processo de gestão humana que tem como alicerce investimentos em pessoas e em qualidade. Desde o início das operações, já foram investidos mais de R$ 35 milhões em capacitação e aperfeiçoamento dos funcionários, consolidando 6 milhões de horas em treinamento.

O programa de capacitação da Contax oferece treinamento e desenvolvimento contínuo dos profissionais em todos os níveis hierárquicos. Neste programa, foi estruturado um modelo de cargos e salários para facilitar o processo de um plano de carreira, incentivando os níveis da operação a participar da busca por melhores desempenhos. Como resultado, em três anos, a Contax já realizou cerca de 7.700 promoções em seus quadros. A empresa também fechou parcerias com algumas das principais Universidades – por exemplo, em São Paulo, com a Unip, UniNove, Unib, Famosp e Cantareira – para conseguir descontos nas mensalidades, facilitando o acesso dos funcionários a um curso universitário.

O desenvolvimento de nossos colaboradores é um compromisso que assumimos como fundamental para as atividades da empresa. Temos consciência de que a trajetória de sucesso que seguimos até aqui não teria sido possível sem a aplicação do talento, dedicação e esforço de todos eles. E a satisfação estampada na fisionomia de cada colaborador é a melhor imagem que uma empresa poderia desejar.

James Meaney é presidente da Contax, empresa de contact center da Telemar