O efeito Pinterest

0
4



Você já ouviu falar do Pinterest? Esse novo site de compartilhamento já se encaixa no grupo de redes sociais mais populares na atualidade, mas em vez de usar conteúdo escrito, ele usa imagens e vídeo. Funciona como aqueles quadros de avisos que existem em escolas, igrejas e empresas. O usuário pode “pin”, ou seja, “pregar” imagens e vídeos nos painéis virtuais que criar. Na prática, uma mistura da área de fotos do Facebook com os canais do YouTube.


Assim como nas outras redes, o usuário pode “pin” fotografias e vídeos que salvou no seu computador e também imagens e vídeos que estejam on-line. Em seguida, compartilha o que postou com os seus amigos, que poderão, como no Facebook, dar um “like” ou compartilhá-lo (no caso específico, “repin it”) em seus próprios painéis.


O Pinterest ainda tem uso limitado para as empresas. Não há ainda qualquer tipo de publicidade ou canais pagos como outros serviços fazem. Mas com certeza eles estão analisando modelos de negócios e certamente virá algum tipo de serviço pago quando uma base de usuários sólida estiver estabelecida. Ou seja, estamos naquela fase do vendedor de sapatos que chegou a uma região longínqua da África. O antecessor ficara desanimado e escrevera para a fábrica: “Não vejo futuro aqui: ninguém usa sapatos”. O nosso vendedor, ao contrário, enviou um telegrama animadíssimo: “Grandes oportunidades aqui: ninguém ainda usa sapatos!”


O fato é que quem desenvolver uma estratégia inteligente sairá na frente. Um exemplo, citado no blog do Jeff Bullas (www.jeffbullas.com), fala de um personal trainer que tirou fotos dos seus clientes malhando e publicou-as no painel do Pinterest que criou. Depois, estimulou-os a “pregá-la”, ou seja, “repin it” no Pinterest deles.


Com um processo bem feito, as imagens e vídeos receberam muitos “likes” e foram “repinned” muitas vezes em um curto espaço de tempo. Assim, a mensagem chegou a milhares e milhares de pessoas interessadas em exercícios físicos. Como o Pinterest adiciona um link em cada “pin”, o tráfego do site foi aumentado com visitantes altamente segmentados – aumentando o número de ligações e conversões.


A Peugeot Panamá foi ainda mais criativa e criou um quebra-cabeças em seu “board”. Para completá-lo, o internauta tinha que procurar as imagens da peças no website da empresa e na sua página no Facebook.


Com criatividade e capacidade de inovação, você certamente descobrirá uma maneira nova de utilizar o serviço para ajudar o seu negócio crescer (e aí compartilhará conosco, certo?).


Até a próxima.


Fernando Guimarães é especialista em marketing de relacionamento.
[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCompras coletivas faturam R$ 142,5 mi
Próximo artigoEmpreendedorismo