O marketing e o mundo digital

0
8



Iniciamos o ano de 2009 com muitas incertezas e inseguranças no campo do emprego, da economia e com relação ao futuro, de forma geral. Porém, mesmo em meio a este cenário nebuloso, alguns aspectos despontam como tendências irreversíveis e uma delas é o crescimento do marketing no mundo digital. Talvez pela novidade, talvez pela necessidade, isso não se sabe ao certo. Mas o que não podemos negligenciar é que, de fato, aqueles que estão dentro não querem sair, e os que estão de fora sabem que já estão atrasados!As motivações para ingressar no universo digital são muitas. Em primeiro lugar, sabe-se que metade da população brasileira, hoje, navega o equivalente a mais de um dia inteiro por mês. São mais de 150 milhões de aparelhos celulares nas mãos de todas as camadas sociais, as crianças estão navegando e produzindo conteúdo, os adultos estão jogando on-line, as donas de casa estão buscando receitas para o almoço de domingo, além de todas as outras ações já conhecidas.

É óbvio que a internet não vai resolver todos os problemas, nem veio para suplantar todas as outras mídias, como alguns chegaram a preconizar. A palavra-chave não é revolução, mas, sim, evolução. A cada nova mídia que surge se renova o acesso às informações, os modelos de negócios, os conteúdos e os formatos. Porém, o que a internet trouxe de mais inovador foi o fato de ter transformado o internauta em mídia. Hoje em dia, com a famosa Web 2.0, as pessoas interagem muito mais, participam de comunidades, produzem conteúdos, publicam vídeos, influenciam marcas e produtos, dialogam diretamente com as empresas, enfim, esta tecnologia fez com que elas se tornassem os atores principais. Quando o assunto é consumo, podemos dizer que ela também ampliou seu poder de barganha, visto que os clientes podem e fazem inúmeras pesquisas antes de efetivarem uma compra.

No Brasil, isso pode ser visto de forma ainda mais substancial, pois os brasileiros passam mais de 15% do seu tempo de navegação em comunidades como Orkut, Myspace e Flickr. O mesmo acontece para os sites de mensagens instantâneas, como o MSN, por exemplo. Para se ter uma ideia, segundo pesquisa do Emarketer referente ao orçamento de marketing total das empresas americanas para 2009, aproximadamente 67% delas vão criar ou ampliar projetos de vídeos on-line e 41% citam que também investirão em mídias sociais na internet. Mas o investimento campeão na mídia digital continua sendo no mercado de buscas, no qual mais de U$ 10 milhões foram investidos em 2008 e a previsão é que, em cinco anos, isso dobre de tamanho. Essa pesquisa aponta ainda que, em 2012, quatro em cada cinco internautas vão assistir a vídeos na web. Isso nos leva a crer que não é uma estratégia muito inteligente ficar de fora desse processo de evolução.

 

Sandra Turchi é superintendente de marketing da ACSP, coordenadora do curso de Marketing Digital da ESPM e presidente da Network Confraria. [email protected]