O canal para quem respira cliente.

VMI, um velho conhecido de cara nova

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



Um velho conhecido está retornando ao mercado, mas agora de cara nova e com um nome em inglês: Vendor Management Inventory (VMI). Se buscarmos os conceitos de VMI, vamos encontrar similaridades brutais com o famoso CRM Transacional, no qual somente as interações comerciais são armazenadas. Com base nelas, as empresas podem gerar ofertas e soluções comerciais adequadas aos seus clientes, aproveitando as oportunidades geradas pela interação das informações.

O VMI foi criado como solução para muitos problemas que surgem na implementação das estratégias de CRM. Basicamente, ele funciona por buscar informações essenciais sobre os clientes, e não aquela bíblia de dados que nunca foram ou serão utilizados para nada. Para valorizar o CRM, diversas empresas que vendem os softwares apresentam milhões de oportunidades agregadas. Mas, como sempre, essas empresas colocam um especialista em sistemas como consultor e, por mais que tentemos evitar, o CRM fica inchado e com um monte de informações podres.

Se quiser entrar para o mundo do CRM, comece acertando e implemente um projeto de VMI. No VMI, tudo é automático, já que não depende de pessoas para alimentar as ferramentas tecnológicas. A partir dele, a maturidade vai chegar e a possibilidade de interagir com seus clientes se tornará realidade. Parece difícil ou caro para sua empresa? Pura ilusão. Na verdade, sua empresa já possui a maioria das informações guardadas no sistema de ERP, que faz toda a gestão das informações; basta desenterrá-lo que muitas oportunidades vão aflorar.

Caso a empresa já trabalhe com as informações financeiras, aconselho – caso queira tirar mais proveito delas – a realizar workshops internos para promover a interação entre diferentes departamentos e, assim, encontrar meios de identificar e capturar oportunidades. Acredito que uma iniciativa de VMI é a porta de entrada para o CRM; não requer prática nem grandes investimentos em ferramentas tecnológicas, afinal, você e sua empresa já possuem muitos dados (seu sistema transacional). Basta apenas ter um grupo de garimpeiros dispostos a procurar as oportunidades ocultas e não percebidas facilmente no atropelo do dia a dia, principalmente nos departamentos de faturamento e expedição.

VMI é uma estratégia que permite à empresa fornecedora, por meio de ferramentas tecnológicas, conhecer, em tempo real, toda a movimentação de seus produtos em cada cliente, revendedor ou consumidor. Ela auxilia a planejar, com maior eficiência e menor custo operacional, não só a reposição, mas também a linha de produção.

De que adianta todo o investimento em qualidade, propaganda e marca, se quando o consumidor chegar ao ponto de venda não encontrar o produto? Nesse caso, ele poderá procurá-lo em outra loja, ou pior, comprar outro que considere similar e, caso se satisfaça, trocará de marca.

A estratégia de VMI permite aos fornecedores excelência operacional na produção e logística, evitando a possibilidade de perda de vendas ou ruptura nos estoques. Por isso, a gestão dos estoques (VMI) vem se tornando uma ferramenta muito procurada pelos fornecedores. Seus resultados são imediatos e vantajosos tanto para os fornecedores como para seus clientes. Se sua empresa não estava pronta para o CRM, comece pelo VMI. Nesta nova sequência de artigos, vamos conversar melhor sobre esta solução.

Marcos Fabio Mazza, da Syngenta Proteção de Cultivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima