5 novas tendências para a década no mundo dos negócios

Esqueça tudo o que você sabe sobre B2B e SaaS e conheça as novidades que poderão pautar o mundo dos negócios nos próximos anos

O segundo mês de 2021 já começou, mas os estudos de novas tendências para este ano e os próximos continuam fervilhando. Recentemente, a consultoria de estratégia e estudos de futuros Strategy and Futures Research Unit (SFRU) lançou um estudo com cinco pontos para prestar atenção no mundo dos negócios que irão remodelar comportamentos na próxima década.

De acordo com a empresa, os acontecimentos atuais da humanidade apresentam um desafio claro à nossa frente: reconstruir a década que se iniciou a partir de 2020 através de inovações mais sustentáveis, eficazes, úteis e humanizadas.

Eis as novas tendências para a década

1. B2A
Depois do B2B, B2C, B2B2C e demais acrônimos inerentes de business, o SFRU sugere a chegada do B2A, ou Business to Algorithm, que tornará as demais abreviações obsoletas. Este modelo representa as operações que envolvem a tomada de decisão de compra por parte de algoritmos ― com consentimento do cliente. Negócios como o Spotify são um exemplo de serviço B2A, segundo a consultoria, pois há opções em que o usuário pode permitir que o aplicativo decida, de modo autônomo, o que o usuário irá ouvir. Portanto, a consultoria sugere que as empresas considerem construir algoritmos de automação de decisões caso queiram se manter relevantes em meio às gerações aceleradas do futuro.

2. Bens públicos
As gerações Y e Z, antenadas com os ciclos do planeta e da humanidade, exigem e irão exigir cada vez mais transparência por parte das marcas, segundo estudo da consultoria de estratégia e estudos de futuros Strategy and Futures Research Unit. A tendência dos nativos ecológicos digitais há tempos já deixa clara a necessidade de empresas se tornarem cada vez mais transparentes em relação a suas operações, recursos, métodos, processos e valores.

3. “Eu” Metaversal
Esta nova tendência sugere que a ascensão de mundos virtuais simulados, como videogames, realidade aumentada e realidade virtual, estão ocasionando o surgimento de uma nova persona que caminhará ao lado das nossas esferas sociais, profissionais e familiares ― a persona virtual. Jogos populares como Fortnite já estão conectados com esse novo paradigma. Em abril de 2020, o jogo transmitiu um show ao vivo do rapper Travis Scott em um avatar virtual dentro do mundo do jogo, e foi acompanhado por nove milhões de jogadores, que puderam interagir no cenário do espetáculo como se estivessem em um festival real.

4. Novos fluxos de trabalho
Ninguém saiu ileso de 2020. Todas as vidas mudaram, o que inclui o âmbito profissional de cada um. Assim, os planos de carreira precisam, a partir de agora, serem redesenhados para estarem de acordo com a nova economia e as mudanças de vidas ― o que deve incluir substituir o questionamento “quando vamos voltar?” por criar sistemas não-tradicionais para as carreiras. Agora que profissionais do mundo inteiro passaram pela experiência do home office, muitos tomaram gosto pelo processo, e passarão a rejeitar carreiras que não ofereçam o benefício do trabalho remoto ou minimamente híbrido. Além disso, o estudo também aponta que o aumento da expectativa de vida sugere uma remodelagem dos estágios de carreira para se adaptarem a profissionais que se aposentam cada vez mais tarde. “O plano de carreira tradicional ainda terá grande influência. Mas milhões irão abraçar ― e monetizar ― novas visões de trabalho como criatividade, cuidado e conexão humana”, afirma a SFRU.

5. Sustentabilidade como serviço
A última tendência sugerida segue o padrão de transformações acrônimas do B2A: a famosa sigla SaaS ganhará um novo sentido, e passará de Software as a Service para Sustainability as a Service, ou seja, sustentabilidade como serviço. Não há mais como correr do termo sustentabilidade. Todas as tendências globais reforçam uma rejeição em massa das pessoas a serviços e marcas que não carregam os selos verdes consigo. Ao mesmo tempo, os consumidores desejam cada vez mais conveniência ― e muitas vezes essas duas funções podem ser contraditórias. Cabe aos inovadores e empreendedores da nova economia encontrarem saídas sustentáveis cada vez mais funcionais, que façam sentido dentro dos ritmos de vida das gerações atuais e futuras.