A semana que passou: IPO do Twitter, venda da Dell, MPX, e mais

Após pronunciamento sobre IPO, Twitter publica foto:
Depois do Twitter sobre o IPO, Twitter publicou outro: “Agora, de volta ao trabalho”

Quem acompanha o perfil @twitter, teve acesso ontem na quinta-feira passada a uma informação bombástica: a empresa fez uma solicitação à SEC (organismo que regula o mercado de capitais nos EUA) para aprovar um IPO. O tweet dizia, textualmente, “We’ve confidentially submitted an S-1 to the SEC for a planned IPO. This Tweet does not constitute an offer of any securities for sale.”

Segundo Al Urbanski, editor do DM News, o anúncio confirmou as especulações de que a empresa estava prestes a dar esse salto depois de recentes aquisições, que aumentaram o alcance do Twitter na esfera do marketing digital, posicionando melhor a rede social como uma plataforma de “ad exchange”, concorrente por exemplo da DoubleClick.

No mesmo dia, a cúpula de acionistas de Dell aprovou a compra da empresa por Michael Dell, fundador da companhia, e Silver Lake. Segundo nota divulgada à imprensa, a operação foi avaliada em 24,9 bilhões de dólares. Com a aquisição, Dell tirará a empresa da bolsa de valores para promover mudanças sem a pressão do mercado financeiro e acionistas. 

Quem continua em alta é o negócio da educação. A rede de ensino Estácio Participações realizou mais uma aquisição milionária para o grupo: a compra da Uniseb por 615,3 milhões de reais em dinheiro e ações. Com a aquisição, a Estácio reforça sua presença em São Paulo e no mercado de ensino presencial, ao agregar um centro universitário com sede em Ribeirão Preto.

Tirando o bode da sala? A EMX, companhia no setor de energia do grupo EBX, anunciou quarta-feira passada a alteração do nome para Eneva. No dia anterior, havia sido informado que Eike Batista negociaria a venda de sua parte na empresa, 24% das ações. Ainda sobre as empresas X, a OGX, petroleira do grupo, anunciou seu processo de reestruturação da dívida da empresa. Há, também, a possibilidade de injeção de recursos detentores de bônus ou um pedido de recuperação judicial.

Voltando ao setor de mídias sociais e ao Twiiter especificamente, o microblogging anunciou na última terça-feira a compra da MoPub, empresa que auxilia os editores móveis a administrar a publicidade. O valor da operação não foi revelado.

O Facebook também anunciou novidades: os anunciantes têm agora mais opções em tamanhos de anúncios. Segundo release da rede, “As mudanças em sua maioria página impacta anúncios com links para posts, anúncios a partir de “likes” na página, anúncios de ofertas e anúncios de eventos, porque esses formatos de anúncios não foram originalmente projetados para funcionar em todas as colocações no Facebook.”

O Google+ também está se mexendo: agora você pode incorporar (embedding) os posts em seu website. “Textos, fotos e posts incorporados são totalmente interativos; os visitantes podem clicar em “+1″, comentar e seguir você online”, informa release da empresa.

Fontes: Portal Abemd, Exame, DMNews, Social Media Examiner