Apple sem Jobs. E sem rumo, novamente?

Os investidores parecem pensar assim. Logo em seguida ao anúncio de que o legendário comandante da maçã renunciou e passou o bastão (ou seria a espada laser? Ver o vídeo abaixo) para Tim Cook, as ações da empresa caíram 7%. Eles certamente lembram dos 10 anos em que Jobs esteve longe de sua criação e a empresa perdeu totalmente o rumo.

Depois da volta do Steve à presidência, a Apple aumentou o valor de suas ações em 100 vezes e tornou-se, recentemente, a empresa mais valiosa do planeta (voltou a perder o título para a Exxon Oil, mas está ali, cabeça a cabeça).

Por mais que sejamos tentados a não dar todo o mérito desse sucesso ao Steve Jobs, aparentemente, ele sabe tocar nos pontos certos da equipe. Até agora, a Apple, com Steve, foi uma empresa notável por sua criatividade, sua habilidade de enxergar o futuro e a capacidade de arrastar uma multidão incalculável de fãs apaixonados e, sem ele, uma empresa comum de quem, em 1995, se apostava quantos meses ainda iria durar.

Veremos, como diria o cego.

Abaixo, uma visão condensada da ilustre carreira do Steve, da época hippie até hoje – com muito humor claro.


Caso não veja o vídeo, clique aqui