Burger King Status Trader. Como uma excelente idéia vira uma pegadinha

De repente, recebo um newsletter do ProXXIma News e uma notícia me chama a atenção: “A moeda social: Burger King Status Trader”. 

Como é que é, pensei com meus zíperes, e mais do que depressa cliquei lá pra ver. 
Aí fiquei mais interessado ainda, pois falava que a BK estava adotando um novo conceito que visa oferecer recompensas físicas em troca de espaços publicitários virtuais em sites de redes sociais para fazer propaganda de pessoa para pessoa. 
Funcionaria por meio de um app que utiliza contas do Facebook ou Twitter. Ao fazer o check-in através do aplicativo, o usuário autorizaria o Burger King a postar conteúdo em seu mural. Um código seria gerado para ser apresentado em qualquer restaurante da rede e trocado por uma promoção gratuitamente.
Por que passei para o futuro do pretérito? Porque a fonte da notícia, meio perdida embaixo do vídeo, era o site psfk.com, que se apresenta como “Your go-to source for new ideas and inspiration”. Ou seja, não necessariamente fatos, não necessariamente uma coisa que tenha sido implementada pelo BK.
Com a pulga atrás da orelha, fui lá na “source” e o que diz lá é que se trata de um projeto, brilhante eu diria, desenvolvido por uma pessoa chamada Andrei Khashan, para seu curso na Miami Ad School Europe (pelo que depreendi de seu website, um trabalho para o sexto trimestre da disciplina de Art Direction).
O fato é que nos sites do Burger King não há a menor citação ao “Status Trader”.