Censo dos shoppings



Recolhi os dados abaixo na blog do Luis Alberto Marinho (http://marinhonoblog.blogspot.com/) e em sua última coluna no Blue Bus (www.bluebus.com.br). Ele apresentou dados do censo realizado pela TNS InterScience para a Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE).


– A quantidade de novos shoppings aumentou a 2% no Sudeste, entre 2006 e 2007. Esse percentual atingiu 12,5% no Norte e quase 18% no Centro-Oeste do país. Mas a concentraçao nos Estados mais ricos ainda é grande: 55% dos empreendimentos estao localizados no Sudeste, dos quais 122 em Sao Paulo – em 2o lugar está o Rio de Janeiro, com 49.

 

– Entre empregos diretos e indiretos, hoje o setor dá trabalho a 630 mil pessoas.


– A vocaçao dos shoppings passa cada vez mais pela uniao de compras, serviços e, em especial, entretenimento. Segundo a InterScience, 86% dos shoppings brasileiros têm salas de cinema, 68% têm jogos eletrônicos e 53% contam com parques para crianças. Nao é a toa que com tudo isso o domingo seja um dos 3 melhores dias de vendas na semana para 2/3 dos empreendimentos pesquisados.

 

– Segundo os critérios da Abrasce, existem hoje no Brasil 367 shoppings. A diferença entre essa conta e as de outras entidades, como a Alshop, por exemplo, é que a Abrasce não considera como shoppings empreendimentos cujas lojas sejam vendidas aos lojistas e não locadas, entre outras características.

– De 2006 para 2007 a quantidade de shoppings no país cresceu 4,5%. Quem puxou esse número para cima foram regiões carentes desse tipo de empreendimento como a Centro-Oeste (+17,8%) e a Norte (+12,5%). No Sul o aumento foi de 5,8%, no Nordeste de 4% e no Sudeste de 2%.


– Enquanto o varejo brasileiro crescia 9,6% de 2006 para 2007, o faturamento dos shoppings subia 16%, chegando a R$ 58 bilhões.


– Dos shoppings brasileiros, 44% são focados nas classes AB, 28% nas classes BC, 6% são predominantemente Classe A, 14% predominantemente Classe B, 4% predominantemente Classe C, 4% são Classe D e 1% Classe E. Ou seja, 2/3 deles são voltados para as classes A e B.


– Cerca de 70% dos shoppings brasileiros cobram pelo estacionamento e apenas 30% liberam gratuitamente suas vagas.


– 92% dos shoppings brasileiros fazem ações de merchandising. As mais comuns são no estacionamento (85% fazem propaganda nesses espaços), nas portas automáticas (70%), nos elevadores (67%), na fachada (60%) e no piso (56%).