Como Google funciona – III



Continuando…

 

Quanto maior “nota” uma página atinja segundo os critérios do post anterior, melhor ranqueada essa página será. As páginas mais bem ranqueadas aparecem na primeira página de uma busca do Google e uma vez que os usuários quase nunca vão além dessa primeira página, essas páginas mais bem ranqueadas obtêm um volume muito maior de tráfego da Internet.

 

Mas atenção: não adianta tentar burlar esse sistema. Há outros fatores que Google usa e que procura prevenir a busca de apresentar páginas que não tragam informações úteis (na teoria, claro, como qualquer um sabe por experiência). Ou seja, se você encher sua página de informação irrelevante, listas de palavras-chave e “junk links”, e for apanhado!, será penalizado pelo Google, podendo até ser banido do banco de dados. Daí, a importância de um bom SEO, Search Engine Optimization.

 

Resumindo, quando você faz uma busca no Google, a resposta é rápida daquele jeito porque o que está sendo consultado no momento não é a Internet por inteiro, é um banco de dados altamente organizado e priorizado. E isso significa que Google é bem mais do que uma ferramenta de busca, é um vastíssimo e crescente repositório de dados sobre o que está na Internet, quem está usando o que, quando e com que objetivo.

 

Dito isso, então, eis a pergunta que não quer calar: o que Google conhece sobre a Internet e sobre quem usa a Internet, ou seja, cada um de nós, e o que esse conhecimento significa?

 

Aguardem…