Como gerar o boca a boca que faz diferença: 5 fontes inestimáveis

Por que você investe em links patrocinados? Se você listar três razões e não incluir “gerar busca orgânica” significa que você não está usando bem a ferramenta. No caso do marketing institucional, o mesmo raciocínio serve para o boca a boca. Se você não está olhando na direção de garantir que a sua marca, ou seja, a reputação de sua empresa, caminhe pelas próprias pernas, pode ser que esteja desperdiçando um caminhão de dinheiro.

Afinal, do que estamos falando? Recomendações, referências, citações… em última instância, de transformar a sua marca em tópico de conversa. É a maneira mais eficiente de divulgá-la.

E não tem mistério: os melhores tópicos são ideias simples, transportáveis e repetíveis, que são facilmente passadas adiante. Apesar da minha história como redator e diretor de criação, vou ter que confessar: não são os anúncios maravilhosos ou os filmes que ganham Cannes. Na maioria dos casos, essas peças viram tópicos sobre elas mesmas e não sobre a sua “maravilhosa” empresa. Funcionam viralmente (e até agora ninguém descobriu ainda a receita do “viral marketing”, por mais que existam agências que digam que sim) e você vai ter que experimentar muito, atirar para muitos lados.

Há, no entanto, algumas coisas que já se sabe que funcionam como ponto de partida. Vamos chamá-las de categorias. As 5 melhores, na opinião do pessoal do WordOfMouth.org, são 

1. um excelente serviço ao consumidor

2. criar algo surpreendente

3. gerar diversão

4. agregar um novo recurso

5. compartilhar pesquisas valiosas

Em um próximo post, vou detalhar essas categorias.