Google tentou sabotar o Firefox?

A acusação é séria e feita por uma empresa californiana de segurança, a NSS Labs. Ela protestou contra o estudo feito pela Accuvant e divulgado esta semana. Segundo esse estudo, o Chrome seria mais seguro que seus rivais Internet Explorer e, principalmente, Firefox, que teria ficado para trás “por não contar com a ferramenta de endurecimento JTT”.  Vikram Phatak, chefe de tecnologia da NSS Labs, classificou a pesquisa, patrocinada pelo Google, de tendenciosa, afirmando que algumas ferramentas de proteção do Firefox foram ignoradas, como o “frame poisoning” (envenenamento por quadro), que bloqueia invasões a partir de falhas de programação; que a frequência de updates não foi devidamente valorizada e que há problemas na análise dos recursos anti-malware. Leia a matéria que divulgou o resultado da pesquisa aqui e sua contestação aqui.