Lead Generation: cinco formatos econômicos – e eficientes!



Fiquei feliz quando recebi este email do MarketingProfs, falando de mala direta. Apesar de todo o auê que os meios digitais estão merecidamente recebendo, a boa e velha correspondência pelo correio ainda tem o seu charme. E também uma alta carga de confiabilidade.


 


Na matéria, o redator Dean Rieck, que publica o newsletter Rieck´s Response Letter (www.directcreative.com) e o Direct Creative Blog (www.directcreative.com/blog) vai, para meu júbilo, ainda mais longe, lembrando alguns formatos que costumam obter altos índices de resposta apesar do custo bem baixo.


 


Eu já usei todos os formatos que ele lembra no artigo e garanto sua eficiência.


1. Sales Letter


A carta de vendas. Envelope e uma carta só frente, frente-e-verso e até com mais páginas. Antigamente, incluíamos um cartão-resposta. Hoje em dia, podemos acrescentar um “reminder” qualquer, com o telefone ou o endereço do site. É uma das ferramentas mais simples e mais efetivas que existem. Eu até acho que hoje pode ter ganho uma eficiência extra, por causa da ubiqüidade do email. Imaginem receber uma carta escrita à mão – você deixaria de ler. É claro que o texto, a oferta, todo o “package” é importante para garantir a efetividade da peça.


2. Postcard


Sim, um cartão postal. Quando eu estava no Smiles, desenvolvemos uma estratégia abrangente e muito eficiente de comunicação de ofertas, usando postais. A gente chegou a testar formatos maiores, peças em que um avião “saía” do postal, coisas simples mas que chamavam ainda mais a atenção. E a sua estratégia pode ser ampliada para incluir os distribuidores de postais nos bares. Como o espaço para texto é pequeno, postais servem bem como “appetizers”, divulgando endereços de hot sites e de telefones onde o prospect pode pegar mais informações.


 


3. Flyer


Eu mantive o nome que o Dean deu, mas ele se referia ao que chamamos “self-mailer”, isto é, um simples folheto frente e verso, com duas dobras e os dados de postagem no exterior. É um formato que sempre esteve associado a “pouco valor”, portanto, é necessário exercitar bem a criatividade para que se destaque em meios aos volantes de delivery e outros que chegam às residências e escritórios.


4. Invitation


O formato de convite. É um formato de mala direta que sempre dá certo. A questão é se você tem conteúdo suficiente para interessar o destinatário, após ele abrir a peça. Caso contrário, pode ser um tiro no pé.


5. Special Delivery


Entrega Especial. Não via Sedex, por favor. Através de um serviço especializado. Quando chega um envelope assim, ele geralmente é aberto.


No fim do artigo, um lembrete: não importa que formato você escolha, o follow-up deve ser o mais rápido possível. De preferência, com conteúdo relevante à solicitação, seja de venda, seja de visita. Excelentes conselhos.

Consultor de marketing e comunicação, especialista em marketing de relacionamento e programas de fidelidade.

1 COMMENT

  1. O que eu acho muito importante tanto que seja pelo meio digital quanto por correspondência é que a empresa tenha sempre uma base de dados atualizada para evitar transtornos e ainda que a mala direta não seja totalmente padronizada, que pelo menos coloque o nome do cliente ou algo que demonstre certa intimidade, no bom sentido é claro, pois se anseio em ter um cliente por muito tempo em minha empresa, tenho que conquistá-lo de alguma forma. (www.encanteseucliente.blog-se.com.br) bjs. Gisele

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Previous articleAs melhores práticas de cobrança
Next articleCoaching aumenta produtividade dos executivos