O “Natal dos faróis”, o estado atual do marketing de relacionamento, e mais

Vem aí o “Natal dos faróis”?

“Beacon”, farol em inglês, é uma tecnologia que utiliza dispositivos minúsculos com bluetooth para localizar smartphones com precisão inferior a um metro e cuja capacidade de envio de mensagens individualizadas. Os beacons identificam até smartphones desligados desde que o bluetooth esteja ativado e isso abre um leque enorme de possibilidades de interação. O principal produto com essa tecnologia é o iBeacon, da Apple, que foi lançado em outubro do ano passado, tarde demais para ter um impacto sobre aquela temporada de compras de final de ano. Agora, porém, a história é outra e empresas como eMarketer e Business Insider Intelligence estão lançando estimativas bem otimistas sobre o uso da tecnologia. Uma seção inteira do novo relatório Holiday Shopping Preview da eMarketer é dedicada a tendências de “beacons” no varejo americano. De acordo com o site, as vendas por lá devem aumentar 5% neste Natal, em comparação com 3% no ano passado, com 8% das vendas sendo digital. Continue lendo na Zona de Desconforto

Dialogue Conference 2014: o estado atual do marketing de relacionamento

A fidelidade do consumidor está em declínio ou não? Segundo Sallie Burnett, presidente do Customer Insight Group, as empresas frequentemente avaliam o seu próprio desempenho como se fosse o padrão. Mas é sempre bom olhar além dos próprios dados e enxergar o contexto. Falando no maior evento de CRM da Escandinávia, Burnett mostrou um quadro diametralmente oposto. Segundo ela, as empresas estão descobrindo que o marketing de relacionamento é uma estratégia mensurável que leva diretamente à última linha do balanço. Em sua apresentação, ela mostrou as 10 principais tendências atuais em relação à fidelização:

Continue lendo na Zona de Desconforto

Pesquisa: 45% dos consumidores fizeram compras no último mês depois de ver anúncio no celular

A plataforma de publicidade mobile NinthDecimal acabou de publicar seu relatório “audience insights”, referente ao segundo trimestre de 2014. Segundo o estudo, os smartphones estão sendo cada vez mais usados para pesquisar compras no varejo. Ao mesmo tempo, diminui o uso de tablets para o mesmo fim. A empresa atribuiu essa queda ao aumento do conforto dos consumidores em relação a comprar via smartphones – telas maiores também ajudam a explicar a tendência, que deve ser ampliada com o Apple Pay. Outra descoberta do estudo é que os consumidores tendem a pesquisar antes de sair de casa mais do que dentro das lojas – embora a quantidade de pessoas que pesquisam enquanto estão nas lojas não seja desprezível. Continue lendo na Zona de Desconforto

Em 4 anos, assistir vídeos em tablets cresceu 3 vezes

A atividade de assistir TV e vídeo em dispositivos digitais continua a crescer – mas ainda está muito atrás do consumo de TV tradicional. Estudo da Parks Associates mostrou que as famílias norte-americanas com banda larga passam em média 1,3 horas por semana assistindo vídeos em tablets e 1,6 horas por semana assistindo vídeos em smartphones – comparados a quase 20 horas por semana na televisão. A Nielsen apresentou outros relatos sobre o consumo de TV-vídeo, mostrando que os telespectadores gastam muito mais tempo com a TV tradicional – em torno de quatro horas e meia por dia de TV ao vivo, em média; e cerca de 30-35 minutos por dia, com vídeo digital. Em praticamente todos os estudos, o uso de dispositivos digitais para essa atividade está crescendo ao longo dos últimos quatro anos. Continue lendo na Zona de Desconforto

Outras notícias do mercado de marketing direto = marketing diálogo no Portal Abemd