Os celulares afetam mesmo nosso cérebro?

Segundo um estudo publicado na edição de hoje do Journal of the American Medical Association, sim. O estudo confirma o que pesquisadores suspeitam há muito tempo: longas conversações afetam partes do nosso cérebro.

Isso é necessariamente ruim? Não. Os autores não sabem como o cérebro é afetado – eles sabem apenas que os celulares “acendem” uma parte significativa da matéria cinzenta próxima ao telefone.

“Não sabemos se isso é deletério ou se pode ter algum efeito benéfico”, explicou a líder do projeto, Dra.Nora Volkow.

Efeitos benéficos? Sim, é possível. O estudo descobriu que o metabolismo de um pequena area do cérebro mais próximo da antena do celular ficava 7% mais alto depois de uma ligação de 50 minutos. Porque aumenta os níveis de glucose. E isso ocorre quando empreendemos atividades cerebrais complexas.

Ou seja, o celular funcionaria como exercício para o cérebro, certo? Não necessariamente. Tumores também precisam de muita glucose. Do ponto de vista pessimista, portanto, isso poderia reforçar a visão alarmista de que celulares causam tumores no cérebro.

O fato é que sabemos muito pouco sobre como funciona o nosso cérebro. Seja como for, talvez seja aconselhável fazer como a própria Dra. Nora Volkow: ela usa fone de ouvidos, deixando seu valioso cérebro bem longe das antenas do celular.

Fonte: Mashable.com