Preço de smartphones cairá, repórteres-robôs, e outras questões

Preço de smartphones pode cair até 30%

Os smartphones produzidos no país vão ficar até 30% mais baratos do que os importados, afirma o Ministério das Comunicações. O Decreto nº 7.981, publicado na edição de hoje (9) do Diário Oficial da União, desonera esses equipamentos da cobrança de PIS/Pasep e Cofins, com uma renúncia de até R$ 500 milhões ao ano, de acordo com informações do ministério. Continue lendo em A Zona de Desconforto

Infográfico: quais os canais de marketing que empresas integram com seus programas de email?

Resultados de uma das questões da 2013 Email Marketing Benchmark Survey, realizada pela MarketingSherpa. 75% dos entrevistados indicaram a integração websites-email, cerca de 20 potos percuais maior do que o segundo colocado, “mídias sociais”(56%). Surpreendentemente, mobile – que é fonte primária de muitos usuários para receber e responder a emails – é integrado por apenas 21% dos respondentes. Confira no Pinterest

Repórter-robô: jornalismo com base em algoritmos. E a ética?

Depois dos soldados-robôs, os drones que atacam no Afeganistão e em outras guerras ainda longe, agora é a vez dos repórteres-robôs, programas que armazenam dados e formatam a informação. Um artigo do Vancouver Sun analisa a novidade e questiona as implicações éticas. Uma tradução editada foi publicada no Observatório da Imprensa e pode ser lida em A Zona de Desconforto

Google Maps retira favelas do RJ da busca

Segundo matéria publicada nesta terça (9) no Estadão, favelas do Rio Janeiro estão sumindo da busca do Google Maps, como a Favela Sumaré e Favela Morro do Chacrinha, na zona norte do estado. A explicação para tal fato tem origem na própria prefeitura do Rio, que há quatro anos havia pedido por intermédio da RioTur a retirada das comunidades. Na mudança, o termo “favela” também foi suprimido na localização de algumas comunidades, deixando de exibir todos os resultados na capital carioca. Adnews

Empresa Erudita, Empresa Roqueira, Empresa Jazzista. Em qual delas você gostaria de trabalhar?

Paulo de Deus, Chief Design Officer de A Zona de Desconforto: “Sou aficionado por música. Não consigo passar um dia sequer sem ouvir música. Tenho minhas preferências e estou longe de ser eclético. Aprecio sons instrumentais, eletroacústicos, uns poucos eruditos. E, em se tratando de música pop, fiquei preso nos anos setenta (gente velha é assim mesmo, saudosista). Mas, por que estou falando de música? Esta coluna não deveria tratar do mundo corporativo, do mercado de consumo e de carreiras?  Claro que sim. Pode ficar tranqüilo (a) que não pretendo “atravessar o samba”. Assim espero. Hoje, vou abordar o ambiente de trabalho em três modelos distintos de gestão. Decidi fazer uma associação com estilos musicais para tornar leitura mais interessante. Continue lendo em A Zona de Desconforto