O canal para quem respira cliente.

Quem possui os dados do consumidor? Twitter+ecommerce? E outras questões

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Especialista discute quem, de fato, “possui” os dados do consumidor

O Volocóptero tem como missão ser seguro e menos poluente do que os tradicionais veículos.
Helicóptero elétrico: mais seguro e menos poluente do que os tradicionais. Confira abaixo

Segundo Bruce Biegel, senior managing director do Winterberry Group, os profissionais de marketing levam uma vantagem em relação à riqueza de dados disponíveis atualmente. Nenhuma peça de informação do cliente está longe de alcance deles. Mas um aspecto ambíguo é quem de fato deve “possuir” esses dados. Quem é responsável pela sua integração e disponibilidade, perguntou ele? E quanto à sua segurança? É o marketing, a equipe que converte todos esses dados para uma visão real? É de TI, o grupo que desenvolve e mantém os bancos de dados? É da área jurídica, as pessoas que lidam com as consequências quando surgem problemas com o uso de dados ou aquisição? “Todos eles possuem os dados, mas temos que contar com a cooperação de todos”, disse Biegel aos participantes no Direct Marketing News 2014 Marketing&Tech Partnership Summit. “Trata-se de parceria. Trata-se de cooperação. Não se trata de propriedade”. Segundo ele, governança de dados e segurança é uma questão empresarial que transcende silos individuais. No entanto, “na maioria das vezes, sobra para o marketing”, alertou. Em uma violação de segurança semelhante em magnitude ao recente problema com a Target, poderia se pensar que seria um problema de TI. No entanto, há sérias implicações de marketing. E se soubermos trabalhar lado a lado não apenas com TI, mas com o jurídico e outros departamentos seremos muito mais eficientes em encontrar dados acionáveis para nossas estratégias e ações de marketing. A tentação de “bypassar” TI e usar automação de marketing baseada na nuvem para fazer isso é forte. Mas isso não levará ao sucesso, de acordo com Biegel. “Em algum ponto aquela tecnologia de marketing precisará ser plugada nas fontes de dados”, disse ele. “E TI é o melhor parceiro para isso.” Fonte: DM News (via Portal Abemd)

O Twitter está planejando entrar no ecommerce

Documentos que vazaram recentemente revelaram que o Twitter está planejando permitir que seus 232 milhões de usuários comprem produtos diretamente do site, como parte de um novo empreendimento de varejo online chamado Twitter Commerce. De acordo com a Re/code, um blog de tecnologia, o serviço será uma parceria com um site de ecommerce chamado Fancy – Jack Dorsey, fundador do Twitter é investidor e membro do conselho do site. Mock-ups da proposta mostram que os usuários do Twitter poderão fazer uma compra ao ver um tweet com uma foto de um produto, clicando em um botão “buy with Fancy”. Fonte: The Telegraph UK  (via Portal Abemd)

Este ano, vendas de ecommerce B2C chegarão a US$ 1,5 trilhão graças aos mercados emergentes

Segundo as últimas previsões do eMarketer, as vendas aos consumidores via comércio eletrônico em todo o mundo vão aumentar 20,1% este ano e chegar a um trilhão e meio de dólares. O crescimento virá principalmente da rápida expansão das bases de usuários online e mobile em mercados emergentes, aumentos nas vendas via mCommerce, opções mais avançadas de envio e pagamento, bem como o interesse das grandes marcas por novos mercados internacionais. Em 2014, pela primeira vez, os consumidores da região Ásia-Pacífico vão gastar mais em compras de comércio eletrônico do que os da América do Norte, tornando-se o maior mercado de comércio eletrônico regional do mundo. Só este ano, as vendas de comércio eletrônico B2C devem chegar a 525,2 bilhões dólares na região, em comparação com 482,6 bilhões dólares na América do Norte. A China ficará com mais de seis em cada 10 dólares gastos em comércio eletrônico na Ásia-Pacífico este ano e representará cerca de três quartos dos gastos regionais até 2017. O mercado de comércio eletrônico do país só perde para os EUA, mas isso não deve durar muito mais tempo. A partir de 2016, a China ultrapassará os EUA em gastos. A força das vendas em mercados emergentes é em grande parte devido a suas grandes populações que se tornam online e compram via ecommerce primeira vez. Ásia-Pacífico vai representar mais de 46% dos compradores digitais no mundo inteiro em 2014, mas esses usuários só serão responsáveis por 16,9% da população da região. A penetração também é baixa na Europa Central e Oriental, América Latina e Oriente Médio e África. Por enquanto, a América do Norte e a Europa Ocidental são as únicas regiões onde a maioria dos moradores vai fazer compras através de canais digitais. Fonte: eMarketer (via Portal Abemd)

Primeiro voo de helicóptero elétrico acontece na Alemanha

Com capacidade para apenas duas pessoas, o helicóptero sustentável, da E-volo, teve seu primeiro voo em terras europeias. Um dos fatos que chamou atenção foi o silêncio em sua decolagem. Batizado de Volocóptero, o veículo possui 18 hélices, que substituem o tradicional motor a combustão. Tendo como missão ser seguro e menos poluente do que os helicópteros atuais. Pesquisadores da Universidade de Stuttgart, na Alemanha, realizaram diversas simulações antes do voo. Entretanto, não foi possível testar os ruídos e vibrações, que são comuns nos veículos tradicionais, devido sua estrutura complexa, design leve e feito de fibra de carbono. Nesse quesito, os desenvolvedores tiveram uma grata surpresa: nem um sinal de vibração foi capturado. O que ainda torna o Volocóptero mais confortável do que os modelos tradicionais. Entre as vantagens do veículo, destacada pela E-volo, está o custo operacional baixo e baixa manutenção. De acordo com o site Inovação Tecnológica, o Volocóptero já possui recursos suficientes para produzir em escala. Assista o video com o volocóptero em ação. Fonte: CicloVivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima