Redes sociais internas: oportunidades para empresas. E mais

Como redes sociais internas podem beneficiar empresas social e eticamente engajadas

social intranetCom a permanente evolução das mídias sociais, novas oportunidades estão surgindo. Marcas conscientes estão começando a usar as tecnologias sociais não apenas para fora, mas também para liderar, inspirar e motivar os empregados e outras partes interessadas. Segundo John M. Lee, fundador da consultoria Digital Growth Strategies, em artigo para o SmartBlog on Social Media, empresas social e eticamente engajadas estão usando as redes sociais como formatos inovadores para divulgar missão, valores e propósitos e engajar seus funcionários em suas missões. É importante pedir aos funcionários para que contem o que significa a missão e os valores da marca, e incentivá-los a compartilhar suas experiências na rede. Se um dos valores da marca for Inspiração, exemplifica Lee, pergunte aos funcionários o que os inspira ou o que eles fizeram no trabalho na semana passada que foi uma inspiração para os outros. Uma vez publicado um post, aquele valor até então impessoal e formal vai ganhar vida de uma forma que todos podem entender e inspirar outros a participar. Eles podem comentar, curtir ou compartilhar mensagens, construindo relações pelos departamentos e escritórios. A mesma abordagem pode ser feita com os clientes através de plataformas de mídias sociais externas. Quanto aos fornecedores e outros parceiros comerciais, a iniciativa reforçará o que você representa e qual o valor que fornece sem hesitação para o cliente e eles poderão assim colaborar socialmente com eles para determinar novas e melhores maneiras de entregar esse valor. Portal Abemd

Países em desenvolvimento aceleram adoção de mobile como conexão principal à Internet

O uso de dispositivos móveis está ganhando um ritmo mais rápido nos países em desenvolvimento do que em economias mais maduras, levando a Internet pela primeira vez a muitas pessoas que antes não tinham acesso. “Estamos assistindo a mobilidade tornar-se fator de expansão da própria Internet. Entender os padrões de uso torna-se realmente importante, porque muitos desses países estão adotando novas tecnologias e utilizando dispositivos móveis de forma mais agressiva do que alguns dos países maduros”, disse Daniel Weisbeck, diretor de marketing da Netbiscuits, empresa de tecnologia para mobile. A empresa relatou recentemente que no Brasil, na Índia e na África do Sul, passa-se mais tempo no mobile banking do que em qualquer outro país, com mais de 40 por cento das pessoas utilizando regularmente o serviço. Nos EUA, por outro lado, cerca de 15% admitiram gastar mais do que 30 minutos de compras em seus smartphones a cada dia. “Nos mercados emergentes, onde não há uma infraestrutura para telefones fixos, a tecnologia móvel é frequentemente a primeira conexão com a Internet”, disse Weisbeck. Portal Abemd

Mapa exibe todos os protestos ocorridos no mundo desde 1979

Extraordinária compilação de todos os protestos ocorridos no mundo nos últimos 34 anos. Foram mais de 250 milhões. Repare no silêncio do Brasil. E no crescente volume de protestos de modo geral, principalmente a partir da década de 90 e, em especial, a partir de 2007, quando se iniciou a crise econômica global atual. Trabalho de chinês de John Beieler. Confira no Update or die

Facebook pagará por perfis em propaganda

O Facebook cedeu a um acordo para pagar até US$ 20 milhões pelo uso de dados de seus usuários em propagandas direcionadas, após condenação em juízo. A decisão, publicada nessa segunda-feira, 26, também obrigou a empresa a facilitar o uso de ferramentas de visualização e obtenção de dados do perfil. A ação foi movida em 2011 por cinco pessoas que se diziam defender “todos os usuários do Facebook”. Eles alegavam que detalhes de seus perfis foram usados pelo programa Histórias Patrocinadas sem o seu consentimento e sem a opção de descadastramento. Meio&Mensagem