O canal para quem respira cliente.

RiHappy compra PB Kids, fim da publicidade para crianças e outras notícias

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Brinquedos: RiHappy compra a PB Kids

A RiHappy, anunciou nesta segunda-feira 25 a aquisição da concorrente PBKids. Os valores envolvidos no negócio não foram divulgados pelo Carlyle, fundo de investimentos americano que em março deste ano comprou 85% da RiHappy, maior varejista especializada do segmento no Brasil.  Juntas, redes terão aproximadamente 170 pontos de venda físicos pelo Brasil. Leia a matéria completa no Meio&Mensagem.

Câmara debate fim da publicidade para crianças

No próximo dia 3 de julho, terça-feira, a Câmara dos Deputados estará aberta para uma audiência pública em que discutirá a possível proibição da publicidade de produtos infantis. O texto é de autoria do deputato licenciado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) e já foi aprovado pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara. Porém, o PL 5921/01 não passou pela Comissão de Desenvolvimento Econômico. Leia a matéria completa no Adnews.

BlackBerry PlayBook é o mais vendido no e-commerce do Walmart

O tablet BlackBerry PlayBook, fabricado pela Research In Motion (RIM), foi o produto mais vendido do site de e-commerce da filial brasileira do Walmart na última semana. Sua versão de 16GB foi a preferida dos compradores no período e, de acordo com o ranking do próprio site do Walmart, continua em primeiro lugar. Mais informações sobre o BlackBerry PlayBook em http://br.blackberry.com/playbookFonte: IMS Brasil. 

Yoko Ono lança app para reunir 7 bilhões de sorrisos

Nos anos 60, Yoko Ono declarou que queria fazer um filme reunindo cada sorriso de cada pessoa no mundo. Hoje, quase 5 décadas depois, o projeto está ganhando vida por meio de um aplicativo para iPhone. Leia a matéria completa no Adnews.

Cientistas criam captador solar que funciona embaixo d’água

Cientistas norte-americanos desenvolveram painéis solares subaquáticos. A tecnologia deve ser aplicada aos sistemas de sensores submersos, oferecendo maior autonomia aos equipamentos e permitindo que eles funcionem independentes das redes de transmissão. Leia a matéria completa no Ciclo Vivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima