“Será que devemos…” Segunda resposta

Sigo com as respostas à questão formulada  pelo vice-presidente da International Family Office. Ele comentou que a empresa dele pretendia deixar de investir em seu programa de fidelidade e aplicar a verba em promoções para o público em geral. Abaixo, a opinião de Deb Rapacz, palestrante, facilitadora em workshops, especialista em brand commitment e fidelidade, de Chicago.

Se o objetivo é levar as pessoas para as lojas, talvez um programa de cartão de fidelidade não seja o melhor veículo.
Eu gosto do comentário de John de que “o envolvimento do cliente” é a chave …  tanto para os membros do programa. cuja fidelidade você tenta aumentar, quanto para os outros, que você está procurando trazer para a loja e construir um relacionamento com eles.
Eu odiaria ver você cancelar um programa mais tarde, porque você diluiu o poder dele atraindo muitos membros de ´baixo envolvimento´. Ou porque o programa não se paga.
Vocês estão abertos ao uso de Promoção Estratégica? Percebi que você não tem tantos dados quanto gostaria, mas talvez você tenha o suficiente para fazer algo interessante e levar as pessoas para a loja. Parece que essa abordagem pode exigir menos de um investimento, sem a responsabilidade de distribuir mais cartões de fidelidade.