US$ 100 mil com uma mensagem in-app. Qual o segredo? E outras questões

Empresa gerou US$ 100 mil com uma única mensagem in-app. O segredo? Marketing direto

A mensagem foi enviada para os usuários de um aplicativo freemium da plataforma AppBoy e pedia para eles adicionarem seu cartões de crédito. Ou seja, por um lado, atingiu uma audiência maciça. Mas certamente contribuiu para o resultado o fato de a ferramenta ser capaz de segmentar a audiência e enviar mensagens relevantes e no tempo certo. “Um dos nossos maiores clientes encontrou um segmento de usuários que nunca tinha feito uma compra, mas estavam engajados – eles usavam o aplicativo, mas nunca compravam nada”, de contou Mark Ghermezian, da Appboy. “O cliente se comunicou com eles apenas através de mensagens in-app e conseguiu que 2% adicionassem seus cartões de crédito, gerando 100 mil dólares de receita adicional com esta mensagem”. Os desenvolvedores estão migrando cada vez mais para as plataformas que permitem atingir seus usuários – e até mesmo personalizar seus aplicativos e ofertas para usuários individuais, exatamente da mesma maneira que as empresas de marketing direto têm feito há anos com ferramentas como o CRM, automação de marketing e plataformas de testes de conversão. A funcionalidade pode vir com muitos nomes diferentes – mobile marketing automation, live ops, engagement engines -[mas, no fundo é sempre o bom e o velho marketing direto com roupa nova – N.T.] e os fornecedores principais incluem Upsight (anteriormente Kontagent), DeltaDNA, Kahuna, Localytics, Swrve – que está monitorando 75 bilhões de ações dirigidas a 500 milhões de pessoas por mês e acaba de levantar US$ 10 milhões em uma rodada de investimentos -.  Appboy, Nudge, Airship Urban, e talvez Playfab e Playnomics (agora parte da Unity). Fonte: VentureBeat

Se personalização é tão importante, por que é tão pouco usada?

Ninguém tem dúvida: personalização é importante. No entanto, as empresas ainda engatinham nesse campo. Uma questão crítica é a falta do domínio da visão única do cliente. De acordo com um levantamento de julho de 2014 realizado pela Forbes Insights, em associação em Sitecore, os sistemas de dados fragmentados e em silos foram um fator fundamental para evitar isso. Altos executivos entrevistados disseram que suas empresas estavam usando uma média de 36 diferentes sistemas e fornecedores de coleta de dados, e alguns usam ​​mais de 100. Apenas 24% dos entrevistados disseram que as várias comunicações com os clientes e sistemas de coleta de dados que eles usam foram integrados ou conectados através de sua organização. 56% disseram que os sistemas foram parcialmente integrados, indicando que eles estão dando passos em direção a um futuro mais simplificado. Quanto às prioridades dos executivos sênior, 62% disseram que a criação de um único banco de dados central de marketing de clientes que abrigue informações da experiência do cliente é uma prioridade e 59% disseram o mesmo sobre ter um sistema único para entregar experiências do cliente em todos os canais digitais em potencial. Fonte: eMarketer

Pesquisa: 78% dos telespectadores só se manterão fieis com múltiplas telas

A Viacom Media Networks realizou um estudo com o objetivo de “mapear os caminhos muitas vezes complexos que o público toma para descobrir e tornar-se fãs de nosso conteúdo”, afirmou Colleen Fahey Rush, executive vice president and chief research officer da empresa. O relatório, intitulado Getting With the Program: TV’s Funnels, Paths and Hurdles, entrevistou mais de 1.500 telespectadores norte-americanos com idades entre 13-44 anos, pessoalmente e online. Segundo o relatório, a introdução de novas tecnologias e novas fontes de conteúdo está tendo um impacto positivo sobre a audiência e a comunidade de fãs. 79% dos entrevistados disseram que o fato de ter mais de uma maneira de acessar programas ajuda-os a procurar mais shows e 78% dizem que não teriam se tornado fãs de seus programas favoritos, se não tivessem sido capazes de vê-los de várias maneiras. Outras conclusões do relatório:

– 47% dos “multi-screeners” (aqueles que usam múltiplas telas e fontes) dizem que é importante assistir seus programas favoritos ao vivo, versus 23% dos que usam apenas uma tela/fonte;

– 45% dos “multi-screeners” são leais a algumas redes, versus 28% dos que usam apenas uma tela/fonte;

– 45% dos “multi-screeners” não vão desistir de TV a cabo/satélite, porque dependem de DVR, versus 22% dos que usam apenas uma tela/fonte. 

Fonte: Colloquy

Leia outras notícias sobre o mercado de marketing direto/diálogo no Portal Abemd