Invasão de Privacidade, excesso de intimidade ou mais realidade do que a realeza?

0
2



É impressionante como as empresas e seus gestores de atendimento conseguem ser mais “realistas do que o rei”. Hoje estive em uma loja para comprar uns livros e quando fui pagar com o meu cartão de crédito gold de uma conhecida administradora que não tem preço, do qual sou cliente há pelo menos 20 anos, voltou a resposta, “solicitação não autorizada”, Com uma cara de meio desconfiada, a moça do caixa tentou de novo. E la veio “solicitação não autorizada”. Bem paguei com o VISA sem problemas. “Deve ser o sistema ou a linha”, disse-me a caixa. Saí da loja e fui almoçar. Ao final, tentei pagar novamente com o mesmo cartão que não tem preço,  A garçonete toda constrangida veio me dizer, “olha o seu cartão não foi autorizado”. Novamente paguei como o VISA, sem problemas. Ah! A compra erá de alguns CD´s e DVD´s. R$ 131,00 na FNAC R$ 116,00 em um restaurante.

 

Prezados gestores de empresas de cartão de crédito, o portador  com o cartão assinado , com seu RG, usando o cartão licitamente, basta conferir o documento e é 100% de chance de não ser fraude. Basta os senhores fazerem uma campanha exigindo os afiliados conferirem os documentos e assinatura. “Mas isso é constragedor para o nosso cliente”, me disse outro dia um desses executivos.  Ora, muito mais constrangedor e ter seu ca\rtão bloqueado sem se saber o motivo. Pior ainda é ligar para a central de atendimento e responder a um questionário absolutamente sem sentido que inclui pérolas do tipo, “quais as compras que o Sr fez nos últimos dois meses?. Depois disto, receber a informação das duas compras bloqueadas, de forma completa. Quer dizer, eles sabem onde estive, a que horas e o que tentei comprar. Finalizando, diz a agente em tom arrogante: “Senhor, suas compras foram bloqueadas por conta de que  estão fora do seu perfil, significando possibilidade de fraude”. Ora bolas! Eles agora decidem o que posso ou não comprar!

 

“Não eleve a voz, senhor, é para sua segurança”. Não é não. Para minha segurança bastaria a garantia de que toda a vez que o cartão fosse apresentado, se pedisse o RG e conferissem a assinatura. Bloquear uma compra, me expor ao constrangimento, baseado em um argumento destes é uma questão de polícia sim, mas não por fraude mas por abuso no uso da informação e danos morais. Calúnia e difamação.

 

Entendo que vivemos em um pais onde os valores éticos estão subvertidos por uma crise de segurança e criminalidade.  Mas daí aceitar passivamente que procedimentos desta natureza sejam feitos em nome de combate a fraude é  aceitar  a quebra do direito do cidadão de ser honesto.  Eles sabem o que você faz, eles decidem o que você compra e o que você não compra e o condenam por fraude. Isto não é segurança é incompetência!

 

Pensem nisto!