No fim o amor que você leva é igual ao amor que você faz

0
2

A última frase da última música do último álbum dos Beatles
é comprida mas definitiva. Vale escrever ela bem grande e colocar na sua
frente, na geladeira, na sua mesa, no seu computador como papel de parede, no
seu carro, no seu diário.

Tenho insistido em meus workshops e sessões de coaching e
praticamente com todos quem falo que um dos pilares da vida é a sociedade e o
planeta em que vivemos e, se não temos algum objetivo com um dos dois, este
pilar não existe e não podemos contar com ele para ficar de pé quando os outros
estiverem com problema.

E eles vão ter problema. Ou você está morto. A vida é fluxo
de energia, e você pode escolher qual energia você quer que flua junto com sua
energia vital.

Ajude aqueles que precisam. São tantas famílias, crianças e
idosos que precisam de ajuda. Os animais, a natureza, o planeta precisa de
ajuda. Mas não mande apenas o dinheiro que te sobra, que apesar de ajudar muito
a todos, não lhe trará os benefícios do amor que virá deles e equilibrará sua
vida.

Invista seu tempo, participe de suas histórias, ensine o que
sabe, console aqueles que perderam seus filhos, ria e chore com eles, viva um
pouco suas vidas. Depois mande seu dinheiro, que tão certo como o governo brasileiro
vai nos roubar, no fim você não leva ele.

Seu exemplo será seguido. Primeiro por aqueles que você ama.
Depois por aqueles que te respeitam. E assim ajudará ainda mais equilibrando
outras vidas e trazendo mais amor ao mundo.

O amor é como o coração. Se expande atingindo todos a nossa
volta e depois se comprime trazendo do universo o amor de todos para dentro de
nós.

Não existe crise para quem busca espiritualidade e ajuda a
sociedade ou a natureza. Os outros dois pilares se ajustam e a paz não lhe abandona.

A lei do equilíbrio sagrado, escrita e vivida tantas vezes
antes de ser música, vale para o amor e tudo que a ele se relaciona. E se
prestarmos atenção em nossas vidas em relação a esta lei é imperativo que
tenhamos ações para equilibrar esta balança ou sairemos desta vida com um amor
bem pequenininho.

Ou no caso de uma vida jogada fora, de corações vazios.

Para finalizar, outra frase do mesmo álbum:

Love is
old, Love is new

Love is
all, Love is you

Simples,
não? 

SEROQUE.COM.BR

Engenheiro mecânico, pós-graduado em marketing pela ESPM, com mais de 25 anos de experiência em marketing e comunicação. Sócio da consultoria de desenvolvimento pessoal "Ser O Quê" e da agência LinkLab Comunicação, atende a clientes como Itaú, Febraban, Cisco, Latam, Grupo Caôa, EMC2 e CA Technologies.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA última da Amazon: está dando bananas para o público
Próximo artigoSempre à frente do cliente