O canal para quem respira cliente.

Pesquisar
Close this search box.

O Centenário do Dia Internacional da Mulher




Hoje, dia 8 de março de 2009, comemora-se o 100º aniversário do Dia Internacional da Mulher em boa parte do planeta. A data é um marco na luta das mulheres (e dos homens de bom senso!) pela igualdade entre os sexos para assuntos como salários, votos, oportunidades, entre outros direitos.


 


Apesar da controvérsia sobre a verdadeira origem da comemoração desta data, não se discute a importância da luta feminina pela igualdade de direitos em um mundo tão confuso e com tanta diversidade. Vale citar que esta data só foi reconhecida oficialmente pela ONU em 1977. Antes tarde do que nunca…


 


O Dia Internacional da Mulher deste ano foi marcado pela forte presença na mídia e nos noticiários. Em grande parte, pela enorme quantidade de protestos e manisfestações na véspera, de ativistas espalhadas pelo mundo inteiro. Esta data não “deveria” ser necessária, mas infelizmente é… e muito! Quem sabe, um dia, será motivo de comemoração, e não manisfestações.


 


Falando em igualdade de direitos, o presidente Barack Obama, acaba de dar um passo importante neste sentido. No início do ano, assinou a Lei “Lilly Ledbetter”, que garante o “pagamento justo” das mulheres e abre espaço para contestaçao formal sobre salários desiguais nas empresas e instituições norte americanas.


 


E vem dos EUA um outro grande exemplo de igualdade: a nomeação de Hillary Clinton como secretária do governo foi um gesto estratégico, inteligente e mais do que justo. Aliás, o jornal O Estado de S. Paulo publicou hoje um belíssimo artigo da ex-primeira dama. Hillary aborda com muita sensibilidade as dificuldades das mulheres em todo o mundo. Principalmente agora, ainda com mais conhecimento de causa, já que convive de perto com esta situação, em suas viagens internacionais defendendo uma nova ordem na diplomacia mundial.


 


Um dos exemplos que ela cita em seu artigo me remete aos belíssimos livros de Khaled Hosseini, principalmente “A Cidade do Sol“, um romance que fala sobre as dificuldades das mulheres no Afeganistão, em pleno século XXI. Enfim, como diz o título do próprio artigo de Hillary Clinton – “O mundo precisa de mulheres livres”.

 

E esta realidade pode ser comprovada em uma pesquisa recente sobre a correlação entre o nível de escolaridade das mulheres e o desenvolvimento dos países. Segunda dados divulgados pela Fundação Nike, a economia de um país cresce 3% a cada 10% de meninas que o país coloca no ensino básico. Outro dado interessante: a mulher costuma gastar 90% do seu salário com a família e com sua casa, enquanto os homens reinvestem apenas 35% (em média). Por último, uma mulher com sete anos a mais de educação, se casa quatro anos mais tarde e costuma ter dois filhos a menos. Em resumo, investir nas mulheres oferece um ótimo retorno para filhos, homens e países.

 


Por esses e diversos outros motivos, o CLUBE DO LIVRO vai homenagear as mulheres não apenas hoje, mas durante toda esta semana. Publicaremos um artigo por dia sobre algumas das principais AUTORAS de livros que marcaram a história recente da literatura mundial. Uma singela homenagem deste blog para nossos leitores e colaboradores, afinal…

 

Metade do planeta é formado por mulheres.

E a outra metade? São os filhos delas!

 


Por último, uma homenagem particular às mulheres da minha vida. Primeiro, as donas do meu castelo, que vou construindo com “as pedras que encontro pelo caminho”: minha rainha Ana Carolina, e as minhas princesinhas Clara e Catarina. Além delas, a minha amada mãe “vovó” Denise, minha irmã Dra. Sandra e as minha sobrinhas Paulinha e Thalita. E a lista continua: as afilhadas Bia, Yve e Mariana, as tias Eldinha, Suely, Marli e Lídia, e claro, a querida “vovó” Marilu, além das primas, amigas, colegas e mulheres em geral.

 

Parabéns pelo dia de hoje, amanhã e sempre!

 


Marco Barcellos


 

 

 


Artigo anteriores relacionados ao tema:


 


Livro “MOTHERN – Manual da Mãe Moderna“, de Juliana Sampaio e Laura Guimarães (Matrix Editora, 173 páginas). Confira em:


 


Livro “Ser Mãe é Tudo de Bom“, do editor Paulo Tadeu (Matrix Editora, 189 páginas). Confira em:


 


 


 

0 comentário em “O Centenário do Dia Internacional da Mulher”

  1. Marco:
    Thankyou. It is great to know that there are men loving “free women” and being a voice for them. Even in LatinAmerica, women have more “rights” than in the arab world, there is still a long way to go from women in Latin America to achieve “freedom” and “rights” at a “decent level” mainly in the lower socio-economic levels.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima