Os Tipos de Feedback

0
2



Oi Pessoal!


Dando continuidade ao artigo sobre a importância do Feedback, focaremos hoje, os Tipos de Feedback.


 

O feedback Positivo

Sua função básica é reforçar um comportamento que se deseja que se repita. O incentivo e o elogio são importantíssimos porque se o reforço não acontecer, pode ser que o comportamento esperado não volte a ocorrer.


Esse feedback é poderoso e por isso, eficaz.


Primeiro, afirme ou descreva o comportamento esperado, em seguida explicite as consequências benéficas de tal comportamento. Depois, o que sentiu em relação à atitude do outro e por fim, o porque de você ter se sentido de tal maneira. Esse tipo de feedback potencializa o efeito para quem o recebe.


Ex. “Você reuniu neste relatório, os faturamentos dos últimos meses de nossas filiais, o que facilitou muito a exposição e meu desempenho nas reuniões com a diretoria. Pude perceber como você é uma funcionária dedicada e proativa porque sempre me atende a contento, antevendo as necessidades de nosso departamento e da empresa”.


Lembrando que, como eu disse no primeiro artigo sobre feedback, esta tática é válida na vida pessoal também. Portanto, experimente e tente aplicar o feedback positivo com sua família e amigos; você verá as mudanças para melhor e o aumento da qualidade em seus relacionamentos.


O feedback Insignificante


Como o próprio nome diz, esse feedback é tão vago e abrangente, que quem o recebe não tem certeza de seu propósito. Tem mínima importância e nenhum impacto.


Ex. “Muito bem!” ou “É isso aí!”.


A pessoa que recebe esse tipo de elogio como incentivo, dificilmente consegue relacionar o feedback recebido com seu comportamento.


O feedback Ofensivo


Contém crítica e ameaça.


Seria um feedback incompleto, pois falta dizer ao ouvinte, o motivo do comportamento dele ter sido inadequado. Quando recebemos um “não” e temos consciência do porque, ficamos menos ansiosos e menos resistentes à mudança necessária de comportamento. E quando as pessoas têm essa ciência, torna-se muito provável que busquem a assertividade para receber o “sim”, ou seja, a aprovação do meio.


Na verdade, o feedback ofensivo é útil somente quando todas as possibilidades e estratégias já foram aplicadas, pois algumas pessoas têm alto nível de resistência, pouca habilidade para a abstração e associação de ideias e baixa percepção do que acontece ao seu redor. Neste caso, limites rígidos têm que ser estabelecidos. Mesmo assim, como o avaliado já teve várias oportunidades de mudar e melhorar o comportamento por meio das tentativas esgotadas, ele estará ciente das possíveis consequências de seu comportamento indesejado.


O feedback Corretivo


O objetivo do feedback corretivo é o de modificar um comportamento e é o mais difícil de todos.


Dar feedback é uma arte porque, como as pessoas são diferentes, duas podem ouvir uma mesma mensagem e interpretá-la e reagir de maneiras diferentes.


O motivo de se aplicar feedback corretivo é que comportamento influencia o desempenho, que por sua vez, impacta no resultado final.


Geralmente, para corrigir um comportamento, as pessoas se utilizam de imposição, persuasão e ameaça, talvez, por não saberem agir de outra forma. E quando esse tipo de feedback é realizado com arrogância, soberba e autoritarismo, não provoca a conscientização de quem ouve.


É prudente iniciar o feedback corretivo com o feedback positivo, fazendo elogios para criar um clima amistoso e minimizar resistências; até porque, é lógico que o ouvinte sempre tem características e comportamentos positivos. Depois, entrando no objetivo do feedback corretivo, faça perguntas cuidadosamente orientadas sobre o que motivou o comportamento que deseja corrigir, a fim de entender como a pessoa raciocinou para ter agido de tal maneira. (As perguntas orientadas provocam em quem ouve, reflexão, faz com que o outro se auto-acesse e acabe se sentindo responsável e comprometido com a solução dos problemas e com a mudança efetiva de comportamento). Por fim, esclareça os possíveis equívocos e informe as mudanças que sejam necessárias.


Enfim, utilizando o mesmo raciocínio do positivo: descreva o comportamento ao ouvinte; depois, as consequências deste comportamento, como você se sentiu em relação ao referido, o porque desse sentimento e finalize com o que deve ser trabalhado e alterado.


Princípios básicos sobre Feedback


A qualidade de qualquer relação, seja pessoal ou profissional, depende da qualidade e da quantidade de feedback que cada indivíduo recebe do outro.


A cordialidade e o contato visual são tipos de feedback e muitos que ocupam cargos de liderança ignoram este fato. A indiferença e o desprezo passam a mensagem ao outro: “você não é importante para mim”, e isso afeta as relações, que afeta o desempenho, que afeta o faturamento, que afeta o lugar que a empresa ocupa no ranking da concorrência.


A questão é que algumas pessoas demandam mais feedback do que outras. Em nossas relações pessoais mesmo, é possível perceber que procuramos sempre os mesmos amigos para desabafar e confidenciar e, de certa forma, escolhemos os assuntos a serem abordados, dependendo dos amigos. Em contrapartida, outros nos solicitam mais e acabamos sendo mais ouvintes. São perfis diferentes, uns ouvem mais e outros precisam falar mais.


Negar feedback a alguém é como se fosse uma “tortura psicológica”, principalmente, para as que precisam de mais retorno.


Quando as pessoas são tratadas com atenção e respeito, sentem ímpeto de retribuir, corresponder, se comprometer. Portanto, o feedback aplicado de maneira apropriada pode trazer inúmeros benefícios à sua vida pessoal e profissional.



Até a próxima!