Aproveite. Ainda dá tempo de inscrever seu case

O canal para quem suspira cliente.

Como aliar a mídia paga e a mídia orgânica para impulsionar o e-commerce?

Autor convidado: Felipe Macedo é CO-CEO e Founder da Corebiz

Para as marcas, as empresas e os serviços que se fundem ao universo on-line, não tem jeito: precisamos delas para impulsionar os negócios. Como dizia o famoso filósofo canadense, Marshall McLuhan: “O meio é a mensagem”. Trazendo a essência para a era da transformação digital, elas são, de fato, o caminho para divulgar o que temos a oferecer. Falo aqui das mídias pagas e orgânicas.

A diferença entre elas está relacionada à forma como o tráfego chegará até o e-commerce. A estratégia de mídia paga é uma das práticas mais comuns e simples de implementar pela área de marketing; consiste basicamente em investir para receber visibilidade on-line, com anúncios, uso de imagem, vídeos e textos. Por outro lado, a criação de mídia orgânica é um exemplo de estratégia que deve ser cultivada ao longo do tempo para atingir os resultados desejados. De forma não paga, esse tipo de tática geralmente privilegia a interação com o público. A venda de produtos ou serviços não é a prioridade, mas sim entender as percepções dos clientes e fortalecer a reputação. 

O problema é que muitos empreendedores erram porque focam apenas em uma dessas modalidades quando, na verdade, a combinação das duas traz resultados mais expressivos. E posso exemplificar com apenas três dicas:

Mude o foco do conteúdo pago

Crie um conteúdo que não seja focado nas vendas, mas que tenha uma proposta de valor para a sua audiência. Isso faz com que a recepção seja muito mais positiva. Aposte também em campanhas pagas que levam tráfego para páginas não somente de vendas, como de conteúdo descritivo; ação essa que auxilia no ganho de reputação e reconhecimento. Por exemplo, uma landing page que conta a história do produto e como ele foi desenvolvido.

Esse tipo de campanha é ideal para aquele consumidor que não está no momento de compra e sim de decisão. Ao entregar a ele conhecimento, você naturalmente cria uma relação de custo x benefício, permitindo que o próximo acesso seja de maneira orgânica porque já foi gerada uma percepção de valor anteriormente.

Crie campanhas mais completas

Aqui faz sentido que a audiência seja apresentada para a marca por esforços pagos, mas que permaneça engajada por causa do valor do conteúdo orgânico. Assim, como no exemplo anterior, você pode criar um fluxo de tráfego no seu site utilizando mídia paga como educadora e mídia orgânica como fomentadora, retornando à mídia paga com campanhas de remarketing ou retargeting. Ou seja, iniciativas para resultados a curto prazo.

Entenda que, mesmo sendo um e-commerce, é muito importante que o seu site tenha conteúdo. Ele é o grande responsável por gerar acesso, o acesso gera dados e os dados atualmente são pontapés principais para qualquer entendimento ou análise que visa ao crescimento do negócio com melhores resultados.

Avalie o comportamento do público

A própria audiência vai indicar se o conteúdo teve uma recepção positiva. Dessa maneira, foque as ações que apresentam indicadores satisfatórios. Essa é uma abordagem que ajuda a direcionar esforços e a entender o comportamento de quem se comunica com a empresa.

Como se vê, tanto o desempenho da mídia paga quanto da orgânica dependem da capacidade de integrar esses conceitos em um pacote atrativo para o público. Portanto, dê atenção à informação que está entregando aos consumidores, construa histórias consistentes e entenda que é necessário ter uma relação cada vez mais próxima para aumentar a taxa de conversão. Aliando as duas mídias, a conquista de bons resultados será uma consequência!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima