Clique e visite a landing do Congresso ClienteSA 2022

O canal para quem respira cliente.

Exposição Xilograffiti traz obras com caráter inclusivo, colaborativo e participativo no Sesc Consolação SP

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

A partir desta quarta-feira, dia 4 de maio, o Sesc Consolação inaugura a exposição Xilograffiti, com curadoria de Baixo Ribeiro e obras populares de origens distintas, que promovem a confluência e o embate entre a xilogravura e o graffiti. Os trabalhos dos artistas e coletivos presentes na mostra – cujas linguagens e referências culturais podem sugerir mais diferenças do que aproximações para o imaginário coletivo – apresentam muitos pontos convergentes, em especial na forma como são construídas, em caráter inclusivo, colaborativo e participativo.

Para o curador, “Mais do que linguagens artísticas, a xilo e o graffiti transformaram-se em símbolos culturais que atraem artistas e públicos engajados na sua perpetuação. Apesar de aparentemente distantes por seus contextos de origem, ambos fazem parte de culturas que se conectam: de um lado a goiva sulca a madeira da matriz xilográfica, do outro lado o estilete corta a máscara de stencil; enquanto nas feiras populares surgem as bancas de cordel, nas feiras de gráficas independentes surgem as banquinhas de zines; se na praça da matriz acontece o duelo de repentistas, na quebrada rola a batalha de slam”.

O público terá a oportunidade de se deparar com uma rica produção artística e ativar, tendo acesso a obras de xilogravuras do acervo Sesc, um varal com coleção de cordéis e cartazes de lambe-lambe (os “microrroteiros da cidade”) com suas matrizes, da artista Lau Guimarães, entre outras, em uma exposição em movimento e construção, onde diversos trabalhos serão incorporados ao espaço expositivo de maneira individual ou coletiva até o término da visitação da exposição, no final de julho.

Na mostra, o recorte curatorial buscou contemplar uma diversidade no que diz respeito à territorialidade, técnicas, dimensões e processos. Pensando nessa diversidade, a curadoria também contemplou artistas e coletivos de mulheres em uma seara com tradição de criação predominantemente masculina.

Além de J. Borges (Bezerros-PE); Lira Nordestina (Juazeiro do Norte-CE); Samuel Casal (Caxias do Sul-RS); Atelier Piratininga (São Paulo-SP); Turenko (Manaus-AM); Paulestinos (São Paulo-SP); Oficina Tipográfica (São Paulo-SP); Romildo Rocha (São Luís-MA) e Derlon (Recife-PE), estão presentes na mostra Xicra convida soupixo, Andréa Sobreiro e Carol Piene (CE); 23ª edição do Projeto Armazém – Mulher Artista Resiste (Florianópolis-SC) e Lau Guimarães (São Paulo-SP). As obras de tais artistas estarão agrupadas por núcleos temáticos.

NTERVENÇÃO ARTÍSTICA NA EMPENA, OFICINAS E ENCONTRO COM ARTISTAS

A exposição, que se dá no Sesc Consolação – localizado na Vila Buarque – promoverá, também, uma grande intervenção na empena de seu prédio. A unidade, inserida em um contexto territorial urbano onde é bastante comum a presença de manifestações artísticas como as apresentadas na mostra (graffitis, lambe-lambes, cartazes etc.), ganhará uma pintura com dimensão monumental de Romildo Rocha, a ser realizada entre os dias 17 de abril a 03 de maio.

Além da intervenção, serão oferecidos cursos, oficinas e encontros com os artistas ao longo do período em que a mostra estiver em cartaz.

Serviço:

Exposição: Xilograffiti

Local: Sesc Consolação(Espaço de Convivência)

Rua Doutor Vila Nova, 245 – Vila Buarque, São Paulo

Abertura  

4 de maio de 2022, às 20h

Visitação 

de 05 de maio a 31 de julho  

Terça a sábado, das 10h às 21h 

Domingos e feriados, das 10h às 18h

Agendamento de grupos: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima