Facebook x Twitter: qual o potencial das duas redes para o social commerce

Facebook e Twitter acabam de divulgar seus resultados do terceiro trimestre de 2021, e o chefe de estratégia da Emplifi — marca que une Socialbakers e Astute — Yuval Ben-Itzhak, comentou um pouco mais sobre a performance das plataformas nesse terceiro trimestre de 2021. (Resumindo, “o Facebook tem o potencial de oferecer a experiência comercial completa, já o Twitter, apesar de bom desempenho, pode ficar para trás em termos de social-commerce”.)

SOBRE FACEBOOK

Para o executivo, conforme o mundo vai se recuperando do pico da pandemia, os profissionais de marketing se voltam cada vez mais para o Facebook e o Instagram com o objetivo de alcançar seu público, atendendo seus hábitos de compra que foram alterados pela crise sanitária.

A mudança desses hábitos pode ser demonstrada através de alguns dados divulgados pela Emplifi que mostram que houve um crescimento nos gastos com anúncios no Facebook e Instagram de 10,5% do segundo ao terceiro trimestre de 2021, e que os profissionais de marketing gastaram 43,4% mais em publicidade nessas redes em comparação ao terceiro trimestre de 2020. “Os gastos com anúncios corresponderam à marca mais alta do ano observada no quarto trimestre de 2020, durante a temporada de férias, quando os gastos costumam estar em seu ponto mais alto. Se essa tendência continuar, uma nova alta do ano provavelmente ocorrerá no quarto trimestre de 2021”, prevê Yuval.

O chefe de estratégia da Emplifi também comentou o crescimento do Facebook e sua família de aplicativos. “À medida que as empresas antecipam um futuro que prioriza as redes sociais, o investimento nessas plataformas está crescendo mais rápido do que nunca. A mídia social se tornou uma parte essencial da vida dos consumidores e as marcas sabem que precisam estar ativas em plataformas como Facebook, Instagram e WhatsApp para manter e nutrir seus relacionamentos com os consumidores.”

Yuval também destacou que o Facebook vem investindo cada vez mais em recursos de social commerce, ferramentas que auxiliarão os usuários a descobrir novos produtos, além de acompanhá-los em toda a jornada de cliente, incluindo a experiência pós-compra. “Mesmo que as plataformas como Snapchat e TikTok continuem a inovar com seus recursos de realidade aumentada, parcerias de e-commerce e outros recursos de comércio, é a família de aplicativos do Facebook que tem o público, os recursos e o roteiro para oferecer a experiência comercial completa”, defendeu.

SOBRE TWITTER

Quando o assunto é Twitter, Yuval destaca a boa performance da rede social, mas mostra uma certa preocupação em relação ao futuro da rede em termos de social commerce. “Os sólidos resultados do terceiro trimestre do Twitter refletem a estabilidade e o crescimento constante da plataforma. No entanto, com seu foco em conteúdo rápido e de curta duração, o Twitter está ficando para trás em relação às outras redes sociais quando se trata de investimento tangível em social commerce.”

Para Yuval, o Twitter passa por um processo lento, porém constante. “Com seus investimentos em recursos para ajudar a combater o abuso online e a introdução de recursos como Communities, que são projetadas para ajudar a gerar mais conversas na plataforma, o Twitter fica em primeiro lugar em termos de crescimento contínuo.”

“Continuar a inovar ainda será primordial. Embora o Snapchat e o Facebook tenham sofrido um impacto significativo com a atualização de privacidade da Apple, a competição por usuários ainda é feroz”, finaliza o executivo.