O canal para quem respira cliente.

A Água está no umbigo!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
De acordo com a Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), em julho, 39,2% dos paulistanos têm algum tipo de aplicação. O volume é 1,2 ponto porcentual (p.p.) acima dos 38% registrados em junho. Entre os paulistanos não endividados, 47,8% possuem algum tipo de aplicação. Já os endividados representam 33%. 
 
Poupança (73,9%) e renda fixa (16,3%) continuam sendo as aplicações preferidas dos paulistanos, somando 90,2% do total. Muito distantes, estão as carteiras de previdência privada (4,6%), ações (1,5%) e outras (3,6%).
 
O indicador de intenção de financiamento subiu 0,7 p.p. entre junho e julho, porém, 87,4% dos paulistanos não pretendem contrair financiamento nos próximos três meses. Em julho houve aumento da segurança de crédito, provocada pelos endividados, nos quais 33% têm algum tipo de aplicação. O valor é 2,9 p.p. maior do que o registrado em junho.
 
Segundo a FecomercioSP, neste momento o risco de crédito está em elevação, principalmente devido ao crescimento do endividamento, concomitante com a queda de cobertura via poupança. Para a entidade, a categoria que apresenta maiores riscos é a de endividados sem aplicação, pois não há sequer retenção de recursos para eventualidades. O grupo é também o de maior propensão ao crédito no curto prazo, no caso de despesas eventuais.
 
Além disso, a federação aponta que a geração de emprego e da massa real de salários pode apresentar uma queda, indicando diminuição das condições do mercado de crédito por contágio do acirramento do mercado de trabalho e pelo risco do aumento da inflação.
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima