Aumento na demanda por crédito

0
1
A busca das empresas por crédito cresceu 2,3% no mês de julho/13, se comparado com o mesmo período do ano passado, conforme apurou o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito. Foi a segunda alta interanual consecutiva do indicador, dado que em junho/13 o crescimento frente ao mesmo mês do ano passado havia sido de 0,6%. Com este resultado, houve diminuição da queda na demanda das empresas por crédito no acumulado deste ano, passando de uma variação negativa de -4,7% (janeiro a junho e 2013) para -3,7% (janeiro a agosto de 2013). 
As grandes na liderança
O maior crescimento na demanda das empresas por crédito em julho/13 foi verificado nas grandes empresas, cuja alta foi de 17,4% frente ao mesmo mês do ano passado. Já nas médias, o crescimento da demanda por crédito em julho/13 foi 1,3% superior ao verificado em julho/12. Por fim, a alta na demanda por crédito foi 2,2% superior nas micro e pequenas empresas em julho/13 na comparação com o mesmo mês de 2012.
No acumulado do ano, as grandes empresas estão exibindo o melhor desempenho em termos de demanda por crédito: alta de 18,4% de janeiro a julho de 2013 frente ao mesmo período do ano passado. As médias empresas também exibem crescimento no acumulado do ano, porém bem mais modesto: 5,6%. Por outro lado, o período de janeiro a julho de 2013 registra queda de 4,4% na busca das micro e pequenas empresas por crédito.
De acordo com os economistas da Serasa Experian, os crescimentos mais expressivos das demandas das grandes e das médias empresas por crédito neste ano de 2013 são decorrentes de um ambiente externo ainda difícil para captações externas e de um mercado de capitais com pouco apetite ao risco, fazendo direcionar as necessidades de financiamento destas empresas às linhas oferecidas pela rede bancária doméstica.
Destaque ao setor industrial 
As empresas industriais, com alta de 8,4%, lideraram a procura por crédito em julho/13. Já as empresas de serviços expandiram a sua busca por crédito em 3,3% ao passo que nas empresas comerciais, o crescimento foi de apenas 0,9%. 
O patamar mais desvalorizado da taxa de câmbio, que parece ter se consolidado ao longo dos últimos meses, pode estar influenciando positivamente a busca por crédito por parte das empresas industriais, tendo em vista os ganhos de competitividade que estas auferem decorrentes de níveis mais depreciados da moeda local, observam os economistas da Serasa Experian.
No acumulado os primeiros sete meses de 2013, todos os setores econômicos ainda exibem recuos nas suas demandas por crédito: -6,2% nas empresas comerciais; -4,2% nas empresas industriais e -0,3% nas empresas de serviços.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMapeando a necessidade do cliente
Próximo artigoNovo cenário?