Brasil rumo ao crescimento sustentado

0
1



A crise na Europa tem deixado os executivos brasileiros com receio. Porém, o recado deixado pelo economista-chefe da Febraban, Rubens Sardenberg, na palestra de abertura do 2º Fórum de Inovação do IGeoc, é de que não há motivos para grandes preocupações. “O Brasil está resistente a crise. Claro que o País irá crescer menos do que nos últimos anos”, afirmou. O PIB do País deve subir 2%, contra a expectativa inicial de 4%.

 

O economista explicou que o cenário externo está realmente mais adverso, principalmente com Itália e Espanha passando por um período de grande risco. “A dívida desses países estão aumentando a patamares altos e em um ritmo insustentável. Se permanecer assim, eles devem entrar em recessão”, alertou. Já os EUA continuará a crescer, mas menos do que era esperado no começo do ano, assim como a China. “Isso deve refletir no Brasil, principalmente na exportação das commodities. Dessa forma, o cenário não é tão favorável, mas estamos longe da crise”, previu. A boa noticia é que em 2013 o Brasil voltará a crescer bem.

 

Enquanto isso, o crédito também passará por uma desaceleração suave. “Devemos ter uma cautela maior tanto do lado das empresas, como do consumidor”, disse o economista. Já a inadimplência tende a permanecer alta, mesmo com a economia em boa situação. A saída, para Sardenberg, está em inserir produtos inovadores que diminuam a inadimplência e os custos associados, permitam acesso das classes C e D ao mercado de consumo, com riscos controlados, e contribuam para o financiamento privato de longo prazo.