Cadastro Positivo, uma ampliação da análise

0
3


Ao ampliar o panorama de visão sobre os comportamentos dos consumidores, o Cadastro Positivo abre a perspectiva de considerar o histórico de crédito que é construído ao longo da vida e assim oferecer taxas e ofertas mais adequadas para cada perfil. Essa nova perspectiva possibilita o reajuste de juros, prazos, entradas, taxas e uma série de outras variáveis que a empresa pode movimentar para fazer uma oferta melhor e ser uma opção mais competitiva.
 
O cenário do país é favorável à implantação do projeto, de acordo Vander Nagata, superintendente da Serasa Experian. “As empresas hoje se convenceram da necessidade do Cadastro principalmente ao observar o panorama da inadimplência no País e o nível crescente de comprometimento das famílias. São necessários projetos estruturantes como este para que seja dado um novo passo em direção ao crédito sustentável”, diz, animado, o superintendente.
 
Para exemplificar os efeitos do Cadastro Positivo, Nagata o compara ao mercado de seguros, que, ao fazer uma proposta, considera o histórico da pessoa no trânsito. “Alguém com poucas ocorrências terá preços compatíveis com seu histórico, e do contrário, também. Alguém com muitas incidências terá preços mais elevados. O cadastro positivo funcionará mais ou menos dessa forma”, explica o superintendente.
 
“As empresas hoje trabalham o histórico do consumidor de maneira pontual e acabam por conceder crédito além da capacidade de pagamento daquele consumidor”, frisa Nagata. Segundo o superintendente, com o Cadastro Positivo é possível observar esse histórico de forma ampliada, o que reflete de forma mais assertiva o comportamento do cliente e evita o superendividamento que pode levar à inadimplência.
 
A implantação do Cadastro Positivo exige planejamento porque acaba por alterar as chamadas políticas de concessão de crédito da empresa, segundo Nagata. “Quando você pretende ofertar crédito de uma forma diferenciada, é preciso não só a revisão de como essa oferta final chegará ao cliente. Se hoje a empresa pratica uma taxa de juros similar para todos os clientes, então, é preciso investir em sistemas para desenvolver essas questões de forma diferenciada. Mas este é um investimento que vale a pena ao longo prazo”, finaliza.