Cautela, nunca é demais!

0
16
As empresas de concessão de crédito têm apresentado um comportamento diferenciado nos últimos anos, buscando educar o consumidor, além de estarem mais seletivas e rigorosas. Com isso, influenciam diretamente no hábito do consumidor, que aprendeu a controlar melhor os gastos, e a acertar as dívidas. O resultado é a acomodação dos níveis de inadimplência, de acordo com Victor Loyola, executive chief da Becrux. “As políticas de crédito adotadas pelas instituições financeiras foram mais conservadoras em 2013, e com a redução na taxa de crescimento do crédito o consumidor passa a ter um comportamento mais prudente”, afirma.
Tanto que, para esse ano, a expectativa é que o cenário de estabilidade se mantenha, segundo Flávio Calife, economista da Boa Vista Serviços. “Como a conjuntura econômica não deve contribuir para maiores quedas da inadimplência esse ano. Por isso, a seletividade na oferta de crédito dos concedentes continuará sendo um fator preponderante na contenção da inadimplência”, comenta.
Ainda que mais consciente sobre seus gastos, consumidor precisa ficar atento para dívidas com cheque especial e cartão de crédito, que, de acordo com Luiz Rabi, economista da Serasa Experian, ainda é principal motivo de endividamento. “Quando o consumidor se descuida, ele gera realmente um problema muito sério para conseguir honrar essas faturas de cartão, principalmente aquelas que vão para o rotativo, ou seja, ele paga só o mínimo, o saldo vai para o rotativo, junta com a fatura do próximo mês, e no terceiro mês o consumidor já está inadimplente”, diz o especialista.
Pensando em orientar cada vez melhor consumidores que estão preocupados em acertar suas dívidas, empresas do setor de cobrança têm aproveitado para promover a educação financeira com seus públicos. Para Adilson Melhado, presidente da Localcred, o importante é construir uma comunicação integrada e humanizada com os clientes. “Iniciamos um trabalho de publicidade para promover a educação financeira mudando o conceito da cobrança. Acreditamos que a cobrança hoje atua como agente facilitador e educador: que busca ajudar o consumidor a viver em equilíbrio sustentável com o seu crédito. Queremos romper o paradigma de que a cobrança é a vilã da história num cenário onde um dos principais motivos de inadimplência é o descontrole financeiro”, finaliza.
E na sua opinião, qual é a expectativa para a inadimplência nos próximos meses? Deixe a sua opinião na enquete do portal Portal Crédito e Cobrança.

Leia também as matérias exclusivas do especial:
Em caso de alta, empresas de concessão devem ficar ainda mais atentas
Empresas de cobrança aproveitam cenário positivo para promover educação financeira
Após queda em 2013, inadimplência promete subir no segundo semestre de 2014
Consumidor está mais consciente na hora de acertar as dívidas