Consórcio em alta

0
19
O número de participantes ativos do Sistema de Consórcios registrou crescimento de quase 9% no final do primeiro quadrimestre deste ano, em relação ao mesmo período em 2014. A principal razão foi o maior número de adesões em veículos leves, que inclui automóveis, utilitários e camionetas, e o de imóveis. Pela quarta vez consecutiva neste ano foi batido o recorde histórico de consorciados. Em abril de 2015, somaram-se 6,40 milhões. Há um ano, era 5,89 milhões.
Enquanto no setor de imóveis o acumulado de vendas atingiu 65,5 mil novas cotas (jan-abr/2015) contra 54,7mil anteriores (jan-abr/2014), com aproximadamente 20% de crescimento, no setor de veículos leves, o aumento foi de 7,4%, apontando 318 mil novas adesões (jan-abr/2015) sobre 296 mil de um ano atrás (jan-abr/2014).
A entrada de novos participantes no Sistema de Consórcios somou 780,5 mil cotas neste quadrimestre, ligeiramente menor que as 787,5 mil totalizadas no mesmo período de 2014. O volume de créditos comercializados correspondente foi de R$ 27,76 bilhões em 2015, 8,2% maior que os R$ 25,66 bilhões no ano passado.
“Nestes primeiros meses, apesar das dificuldades econômicas vivenciadas no país, os resultados vêm se apresentando muito próximos aos do ano passado e até melhores em alguns setores”, explica Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios. “Mês após mês, ao acompanhar o comportamento do cenário nacional, com inflação persistente e juros cada vez mais altos, o consumidor passou a analisar melhor as alternativas existentes e verificar como adquirir bens ou contratar serviços por custos menores. Por isso, muitos têm preferido os consórcios”.
As contemplações, ocasião na qual os consorciados conseguem realizar seus objetivos podendo adquirir bens ou contratar serviços, acumularam 478,7 mil (jan-abr/2015), 8,2% mais que as 442,4 mil passadas (jan-abr/2014). O total disponibilizado foi de R$ 13,63 bilhões (jan-abr/2015) versus R$ 12,14 bilhões anteriores (jan-abr/2014), com alta de 12,3%.