Clique no banner e vote na fera que te representa!
Clique no banner e vote na fera que te representa!

O canal para quem respira cliente.

Crescem consultas ao SCPC

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



O Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que mede as vendas a prazo, registrou alta de 15,7% no mês de maio, comparado igual período em 2009. Enquanto o SCPC/Cheque (vendas à vista) subiu 6,8 %, na mesma base de comparação. Em relação a abril, o SCPC cresceu 12,2% e o SCPC/Cheque teve alta de 17,5%. “Os dados analisados asseguram otimismo crescente”, disse Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

 

Os registros recebidos (carnês em atraso) apresentaram em maio queda de 4,6%%, enquanto os registros cancelados (carnês quitados e/ou renegociados) registraram alta de  4,1%,  na mesma comparação entre períodos (maio 2010/maio 2009) mostrando que a inadimplência continua em queda. Para Burti, o aumento dos registros cancelados “elevam o nível de confiança na economia”.

 

Na área de Pessoa Jurídica, o indicador de títulos protestados indica queda de 37,9% e os requerimentos falimentares de 19,0%, em maio de 2010 sobre o mesmo mês do ano anterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crescem consultas ao SCPC

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



O Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que mede as vendas a prazo, registrou alta de 12,4% na primeira quinzena de abril, comparado igual período em 2009. O resultado foi favorecido por uma base fraca em 2009 (crise de crédito), pela proximidade do Dia das Mães, pela Copa do Mundo e pelas ofertas das sobras das desonerações fiscais do IPI.

 

O  SCPC/Cheque, que mede as vendas à vista, subiu 8,8 % na mesma base de comparação, praticamente pelos mesmos fatores, além das liquidações da moda primavera-verão e pelo início das vendas outono-inverno, estas favorecidas pela frente fria do último fim de semana. Os registros recebidos (carnês em atraso) apresentaram expressiva queda de 5,7%, enquanto os registros cancelados (carnês quitados e/ou renegociados) registraram alta de 2,3% %,  na mesma comparação entre períodos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crescem consultas ao SCPC

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



O Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que mede as vendas a prazo, registrou alta de 11,5% em março, comparado igual período em 2009. O mês foi favorecido por um efeito calendário, com um dia últil a mais, com a base fraca de 2009 e com a antecipação de compras pela perspectiva do fim das desonerações fiscais do IPI. O  SCPC/Cheque (vendas à vista) subiu 9,0%, na mesma base de comparação, praticamente pelos mesmos fatores, beneficiado ainda pelas liquidações de fim de isenções fiscais e da moda primavera-verão.

 

“Mais uma vez os dados confirmam todas as nossas projeções. O importante agora é que a área política do País tenha consciência disso e faça uma campanha que não perturbe esse bom momento para nossa economia”, disse Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

 

No primeiro trimestre de 2010 (comparado com igual período em 2009) as consultas ao SCPC se recuperaram em 6,6%, enquanto as consultas ao SCPC/Cheque apresentaram alta de 6,4% mostrando que a economia retomou seu ritmo normal de crescimento. Os registros recebidos caíram 1,2% no período e os cancelados cresceram 8,6% mostrando que a inadimplência continua em queda no primeiro trimestre deste ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima