É hora de incentivar!

0
3
Apesar de ser um dos setores que ainda cresce em momento de crise, as empresas de recuperação de crédito também enfrentam grande turn over dos colaboradores. Isso ocorre porque, em sua maioria, eles são jovens e necessitam constantemente de estímulos para permanecer – além dos que o fizeram escolher a vaga.  A verdade é que todos os funcionários estão exigindo mais do que um salário acima da média e benefícios diferenciados para continuarem ali. E cada um possui a sua particularidade, logo, cada um sente-se motivado por um motivo diferente do outro. “A gestão de pessoas não é uma ciência exata, mas pode se utilizar da estatística, da lógica e da matemática para criar situações de incentivo e de desafios. A parceria e a integração da área de gestão de pessoas é fundamental”, apresenta Cristiano Ayres de Figueiredo, diretor da Globalcob.
Dessa forma, uma estratégia junto aos líderes das equipes, pode ser útil, já que ele atua como mediador entre a relação de colaborador-empresa, facilitando a comunicação. Além disso, quando os funcionários possuem gestores motivados, a tendência é que esse sentimento contagie o ambiente. “A motivação é uma reação em cadeia, como também é a desmotivação”, destaca Figueiredo.
Outras ações, como concursos, palestras, cursos em plataformas virtuais e formações para o desenvolvimento da carreira, programas internos de valorização do colaborador, orientação à profissão, campanhas de incentivo e premiações por produtividade e mérito, também apresentam bons resultados. “O profissional valorizado e motivado tende a ser mais assíduo, atencioso às tarefas diárias e mais produtivo”, acredita Hedfran Frejat, gerente executivo de RH da Intervalor. Ele cita, como exemplo, uma das ações pontuais da empresa – a sexta-feira temática -, que reduziu o índice de absenteísmo, além de gerar um feedback positivo por parte dos colaboradores.
Entretanto, é importante observar que essas ações devem passar por revisões periódicas, acompanhando as variações de mercado, bem como as mudanças no perfil do colaborador, suas diferenças e semelhanças. E um sinônimo encontrado na maioria das pessoas é o fato delas sentirem que seu trabalho tem um propósito. No setor de cobrança, em meio a tanto estresse e com o colaborador sendo visto como carrasco, não é diferente. “E se o profissional se visse como uma pessoa que está ajudando esta pessoa a resgatar a “honra” de seu nome? Ajudando-a a recuperar a auto-estima e a possibilidade de fazer um financiamento, desenvolver ainda mais sua vida? Será que não trabalharia mais feliz?”, questiona Douglas Luiz Maliska Pereira, CEO da Douglas Pereira Coaching & Consultoria.
Com isso, verifica-se que tão importante quanto os resultados imediatos, é o crescimento estável e constante da recuperadora. Este é um serviço antigo e que, dificilmente, irá desaparecer, mas nem por isso deve ser feito de qualquer jeito. E o que pode fazer a diferença na história de uma empresa é o quanto ela está engajada com seus colaboradores, comunicando-se com eles e acompanhando as mudanças da sociedade e do mercado.
Qual a melhor forma de motivar o colaborador de cobrança? Deixe a sua opinião na enquete do Portal Crédito e Cobrança.

Leia também as matérias exclusivas do especial:
Funcionários satisfeitos nem sempre é resultado apenas de bonificação
Com equipes mais unidas e em diálogo constante, liderança auxilia no crescimento interno e externo
Ao contrário do que se pensa, salário acima do mercado e benefícios não são suficientes para motivar