Financiamento com item de série!

0
1
O setor automobilístico pode viver em alta – quando a conjuntura econômica não apresenta sinais tão positivo-, ou pode estar em baixa, quando tudo aparenta estar a favor deste segmento. Com características tão peculiares, o importante às instruções de crédito e cobrança é justamente ajudar o consumidor a equacionar as suas finanças, para que o carro dos sonhos não se torne um grande prejuízo. Em entrevista exclusiva ao Portal Crédito e Cobrança, o economista-chefe da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento, Acrefi, Nicola Tingas esclarece como o mercado deve se posicionar frente ao crédito automotivo. 
Em função da alta inadimplência decorrente de 2012, o mercado de crédito automotivo vem sofrendo ajustamento desde o mesmo ano, algo que vem contribuído ao setor, como explica Tingas. “Este ajustamento, nos conceitos de risco, se mostrou eficaz porque a qualidade do crédito melhorou, ou seja, os novos tomadores de crédito pagaram as suas parcelas”, explica. Para Tingas o consumidor ainda está “às voltas com o saneamento financeiro, com redução de despesas”, porém os atrasos entre 15 a 90 dias, num conjunto, ainda tem um nível alto. “Há um trabalho importante a ser feito pelas empresas de crédito e cobrança, os próprios bancos têm feito”, completa.
Ainda de acordo com Tingas, o atual cenário indica que as instituições devem ajudar o consumidor com as dificuldades e melhorar as situações das carteiras. “Os desafios das empresas de crédito e cobrança estão sendo, primeiro, conceder um crédito adequado, ou seja, aquele crédito que foi concedido lá atrás – 60 meses e sem entrada para o parcelamento do pagamento de veículos-, se provou um crédito inadequado”, afirma. Segundo o economista, o tomador deste tipo de crédito foi um dos protagonistas desta maior inadimplência. 
Em vista deste desafio, as empresas de crédito e cobrança têm mostrado maior eficácia no trabalho de identificar o consumidor com problemas, de acordo com Tingas, a carteira de crédito está mais ajustada. “As entidades de cobrança e crédito tem ajudado neste trabalho de identificar o tomador com problema, conversando com ele e muitas vezes reestruturando até a operação, enfim, tem havido avanços tanto na gestão do crédito na concessão, quanto no acompanhamento de cobrança”, finaliza.  

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorObjetivos bem alinhados
Próximo artigoO que ele precisa?